sexta-feira, dezembro 30, 2011

Édouard Manet-Émile Zola

Émile Zola
O escritor Émile Zola era um dos poucos defensores da obra de Édouard Manet.Em determinada ocasião, terá dito:"sabem o efeito que as obras de Manet produzem no Salão? Simplesmente, explodem na parede! À sua volta apresentam-se as gulodices dos confeiteiros artísticos da moda, as árvores de açúcar cristalizado e as casas de papel, as esculturas de farinha e mel e as mulheres feitas de creme de baunilha". Dada a grande amizade que os unia, Manet decidiu realizar um retrato de Zola. Assim na obra que aqui aparece vemos o escritor francês sentado, diante da sua mesa de trabalho, com um livro aberto seguro pela mão esquerda. Entre os elementos que aparecem representados na mesa podemos distinguir um caderno cuja capa é um dos desenhos de Manet. Ainda em cima dessa mesa e na parede, vemos vários desenhos.Num deles, vemos uma reprodução da obra 'Olympia' de Manet. Também vemos uma gravura realizada pelo pintor Utagawa Kuniyali II, muito apreciado por alguns pintores franceses entre os quais Manet.Ao fundo da composição, podemos distinguir um  esboço a carvão que lembra 'Os Bêbados' do pintor Vélasquez.Com isso Manet parecia pretender representar e mostrar a admiração que sentia pelo pintor espanhol.Por fim e no último plano da composição à esquerda, podemos ver representada um biombo que estabelece uma ponte com a estética japonesa, muito em voga nessa época.Esta interessante obra de Manet realizada por volta de 1868 é óleo sobre tela e pode ser apreciada no Museu D'Orsay em Paris.

quarta-feira, dezembro 28, 2011

Melancolia

Fui hoje ver o filme Melancolia do realizador Lars Van Trier e a exemplo do que tinha acontecido com o filme de Terence Malick, "A Árvore da Vida"(postei o filme aqui há coisa de dois meses), amei este filme. Durante todo o visionamento (e talvez por causa da banda sonora e da fotografia) não pude deixar de fazer uma ligação ao filme de Malick.São filmes com uma estética visual muito própria, com diálogos muito filosóficos, e com  actores muito bons, (Kirsten Dunst) está estupenda! Ao contrário do filme de T.Malick onde o final abria portas para o apaziguamento e  a esperança, aqui neste Melancolia nada disso acontece, é a destruição completa de todas as esperanças humanas traduzidas através do fim do planeta terra. Para Justine  (K.Dunst),uma personagem cheia de depressões, intuições e com um 6º sentido muito apurado,"A Terra é má...não há que ter esperança...estamos condenados ao fim". Para ela ( a única que aceita o fim com calma resignação e sem ressentimentos), a colisão do bonito planeta  Melancolia com a Terra traz consigo a paz que todos os seres humanos estão necessitados e a  ela mais do que ninguém! Melancolia é um filme  muito bonito, quiça  muito deprimente, triste, sem esperança, sem fé e sem redenção.É um filme onde tudo se centra num único espaço (a lindíssima  mansão onde decorre toda  a acção), nas interpretações dos atores e em imagens muito intensas. Kirsten Dunst está sublime como Justine, a triste e depressiva noiva que se separa do desamparado marido no próprio dia do casamento. Charlotte Gainsbourg, como Claire a irmã sempre presente , substituta de uma mãe dolorosamente ausente/Charlotte Rampling, está soberba e  Kiefer Sutherland, como John (marido de Claires) está magnífico.Um filme muito bom e que juntamento com "A Arvore da Vida", torna o ano de 2011 em termos cinematográficos um dos melhores dos últimos anos!

quinta-feira, dezembro 22, 2011

Giorgione-A Adoração dos Pastores

A autoria desta obra foi e tem sido muito discutida.Há quem a considere uma obra de Giorgione, mas também há quem ache que a mesma  é de Bellini ou de Ticiano e que os mesmos a teriam realizado na sua juventude. No entanto as investigações mais recentes identificam a obra  como sendo de facto de Giorgione, pintor italiano nascido em  Castelfranco em  1477 , tendo falecido em  Veneza em  1510. Conhecido como  Giorgione o seu nome era Giorgio Barbarelli da Castelfranco.Giorgione  foi um pintor do Renascimento tendo  morrido com apenas 33 anos.Apesar de ter falecido muito novo deixou uma obra  de alta qualidade e grande influência no seu tempo. Nesta sua obra, vemos uma gruta escura que serve de moldura para albergar a Virgem, o Menino e São José, realçando-se as personagens pelo colorido do seu vestuário e pela luz que recebem. O mesmo não acontece com os animais do fundo da gruta que entrevemos com dificuldade na escuridão. Giorgione representa o momento em que alguns pastores com roupas muito pobres param para adorar o Menino. Todas as personagens rodeiam o recém nascido, envolvendo-O no centro de um círculo que O agasalha. Uma atmosfera espiritual é transmitida através da prece dos presentes, bem como pelos pequenos querubins que se vêem sobre a rocha abrupta.À esquerda, uma deliciosa paisagem cheia de luz e frescura poderia identificar-se com a zona de Veneto terra natal do pintor. Pequenos edifícios e personagens humanizam-no, embora mais não sejam do que pormenores que servem de apoio à cena principal.Um horizonte cheio de luz esbate em tons azulados e cinzentos as colinas do fundo da paisagem, imprimindo maior profundidade à cena. O tratamento naturalista da planície, com os seus contrastes luminosos, anima a composição e confere-lhe uma ampla perspetiva. Por sua vez os rostos, de perfil, e o olhar baixo de São José e da Virgem revelam a meditação em silêncio perante o milagre do acontecimento.Nas suas feições e vestes, aprecia-se a importância linear do traço aprendido com o mestre Bellini , no que respeita à cor e ao traço.Esta singela mas interessante obra denominada de "A Adoração dos Pastores" (1505/1510) é um óleo sobre Madeira e pode ser vista no National Gallery of Art em Washington.

terça-feira, dezembro 20, 2011

Alteração ao Código de Trabalho


   1-INDUMENTÁRIA:
Informamos que o funcionário deverá trabalhar vestido de acordo com o seu Salário. Se o virmos calçado com uns ténis Adidas de € 100 ou com uma bolsa Gucci de € 150, presumiremos que está muito bem de finanças e portanto, não precisa de aumento. Se ele se vestir de forma pobre,será um sinal de que precisa aprender a controlar melhor o seu dinheiro para que possa comprar roupas melhores e portanto, não precisa de aumento. E se ele se vestir no meio-termo, estará perfeito e portanto, não precisa de aumento
 
2.AUSÊNCIA DEVIDO A DOENÇA:
Não vamos mais aceitar uma declaração do médico como prova de doença. Se o funcionário tem condições para ir até ao consultório médico também tem para vir trabalhar.

3. CIRURGIA:
As cirurgias são proibidas. Enquanto o funcionário trabalhar nesta empresa, precisará de todos os seus órgãos, portanto, não deve pensar em tirar nada. Nós contratámo-lo inteiro. Remover algo constitui quebra de contrato.

  4. AUSÊNCIAS DEVIDO A MOTIVOS PESSOAIS:
Cada funcionário receberá 104 dias para assuntos pessoais, em cada ano. Chamam-se Sábados e Domingos. 

5. FÉRIAS:
Todos os funcionários têm direito a gozar ainda mais 12 dias de férias nos seguintes dias de cada ano: 1 de Janeiro;Dia de Páscoa;25 de Abril;1 de Maio; 10 de Junho; 15 de Agosto; 5 de Outubro;1 de Novembro; 1 de Dezembro;25 de Dezembro.
 
6. AUSÊNCIA DEVIDO AO FALECIMENTO DE ENTE QUERIDO:
Esta não é uma justificação para perder um dia de trabalho. Não há nada que se possa fazer pelos amigos, parentes ou colegas de trabalho falecidos. Todo o esforço deverá ser empenhado para que os não-funcionários cuidem dos detalhes. Nos casos raros, onde o envolvimento do funcionário é necessário, o enterro deverá ser marcado para o final da tarde. Teremos prazer em permitir que o funcionário trabalhe durante o horário do almoço e, daí sair uma hora mais cedo, desde que o seu trabalho esteja em dia.
 
7. AUSÊNCIA DEVIDO À SUA PRÓPRIA MORTE:
Isto será aceite como desculpa. Entretanto, exigimos pelo menos15 dias de aviso prévio, visto que cabe ao funcionário treinar o seu substituto.
 
8. O USO DO WC:
Os funcionários estão a passar tempo demais na casa de banho. No futuro, seguiremos o sistema de ordem alfabética. Por exemplo: Todos os funcionários cujos nomes começam com a letra 'A' irão entre as 9:00 e 9:20, aqueles com a letra 'B' entre 9:20 e 9:40, etc. Se não puder ir na hora designada, será preciso esperar a sua vez, no dia seguinte. Em caso de emergência, os funcionários poderão trocar o seu horário com um colega. Ambos os chefes dos funcionários deverão aprovar essa troca, por escrito.
Adicionalmente, agora há um limite estritamente máximo de 3minutos na sanita. Acabando esses 3 minutos, um alarme tocará, o rolo de papel higiénico será recolhido, a porta da sanita abrir-se-á e uma foto será tirada. Se for repetente, a foto será afixada no quadro de avisos e Intranet do Serviço com o título infractor crónico. 

9. A HORA DO ALMOÇO:
Os magros têm 30 minutos para o almoço, porque precisam comer mais para parecerem saudáveis. As pessoas de tamanho normal têm 15 minutos para comer uma refeição balanceada que sustente o seu corpo mediano. Os gordos têm 5 minutos, porque é tudo que precisam para tomar uma salada e um moderador de apetite.  Muito obrigado pela sua fidelidade à nossa empresa. Estamos aqui para proporcionar uma experiência laboral positiva. Portanto, todas as dúvidas, comentários, preocupações, reclamações, frustrações, irritações, desagravos, insinuações, alegações, acusações, observações, consternações e quaisquer outras... ões' deverão ser dirigidas para outro lugar.
  Tenham uma boa semana.
 
A Administração.

domingo, dezembro 18, 2011

Dante Gabriel Rossetti-A Anunciação

Esta obra reflecte o modo como Dante Gabriel Rossetti , representa um tema tradicional como o da Anunciação, numa tentativa de misturar o realismo contemporâneo com o sentimento religioso.Nela, vê-se a Virgem, que a maioria das vezes é representada como estando numa contemplação profunda, de uma forma completamente diferente.Esta encontra-se sentada na cama com um certo torpor, como se a tivessem molestado.Se não fosse o halo dourado que rodeia ambas as cabeças e o facto do anjo pairar no ar, poderíamos pensar  estarmos perante uma obra em que uma jovem mulher conta a um seu amigo o seu infortúnio por estar grávida sem saber como .Outro factor que torna esta obra tão estranha é a cor branca que domina por toda a composição e está presente tanto na indumentaria das duas personagens, como nas paredes e chão do lugar. É interessante observar como o anjo oferece flores brancas, que parecem ser açucenas, à Virgem, como sendo um sinal da chegada do seu santo Filho. Esta obra foi duramente criticada por certos sectores, que a encararam como "um exemplo da perversão do talento, que ultimamente tanto progrediu". De facto a figura da Virgem chama a atenção pela sua delicadeza extrema pela excessiva beleza do branco, que, sem dúvida está relacionado com a ideia de pureza feminina. O bengaleiro vermelho que está à direita equilibra a horizontalidade da posição da virgem, e confere à obra um cromatismo e vivacidade muito maior.Também a cortina azul e o amarelo das chamas que saem dos pés do anjo dão alguma vivacidade a esta magnífica tela.Esta obra denominada de "Ecce Ancilla Domini!" (A Anunciação) é óleo sobre tela e pode ser apreciada no Tate Galleries, em Londres.

sábado, dezembro 17, 2011

Cesária Évora- 1941-2011

Cesária Évora nasceu a 27 de Agosto de 1941 na cidade de Mindelo, em Cabo Verde. Filha de Justino da Cruz Évora tocador de cavaquinho e violão e de Dª Joana, o grande e eterno amor da sua vida. A cantora é considerada a "embaixadora da morna", tendo editado 24 discos, entre originais, ao vivo e em parceria com outros artistas de vários países.A diva morreu hoje com 70 anos.

sexta-feira, dezembro 16, 2011

Gatos com polegares

Todos os gatos sabem… é uma questão de tempo… até terem os polegares oponíveis. E será o fim do mundo como o conhecemos!Um dos melhores anúncios de 2011 este ‘Cats With Thumbs’ da Cravendale, marca de leite britânica. De facto...irresistível!

quinta-feira, dezembro 15, 2011

Alguns Instantes de Beleza

São 60 segundos de beleza, uma magnífica compilação recolhida entre os vídeos submetidos pelos utilizadores à primeira fase do concurso de curtas metragens ‘A Beleza de Um Segundo’.
Este concurso é um desafio (apresentado por Wim Wenders), lançado pela Montblanc e pela agência Leo Burnett / Milão como forma de homenagem ao cronógrafo/relógio que se tornou popular no século 18 e que registava o tempo com uma precisão de um quinto de segundo.

Presente para a Mãe

Três filhos saíram de casa, tiveram sucesso na vida e prosperaram.
Anos depois, eles  encontraram-se e começara a discutir sobre os presentes que eles conseguiram comprar para a mãe, que já ela  era muito idosa.
Cada um querendo ser melhor que o outro disseram:
O primeiro disse:
- "Eu consegui comprar uma casa enorme para nossa mãe."
O segundo disse:
- "Eu mandei para ela uma Mercedes zerinho, com motorista."
O terceiro sorriu e disse:
- "Certamente meu presente foi melhor. Vocês sabem como a mamãe gosta de ler a  Bíblia, mas ela está praticamente cega e tem muita dificuldade em ler. Então mandei praa ela um papagaio marrom raro que consegue recitar a Bíblia toda. Foram 12 anos de treino num mosteiro, por 20 monges diferentes.Eu tive de doa rimenso dinheiro para o mosteiro,mas o esforço valeu a pena!
 A Nossa mãe precisa apenas dizer o capítulo e versículo que o papagaio recita sem um único erro."
Tempos depois, os  filhos receberam da mãe uma carta de agradecimento pelos presentes:
Primeiro:
- "João, a casa que tu compraste é muito grande. Eu moro apenas num quarto, mas tenho de limpar a casa todinha..."
Segundo:
- "José, eu estou muito velha pra sair de casa e viajar. Eu fico em casa o tempo todo e nunca uso o Mercedes que tu me deste.. E o pior é que o motorista ganha sem fazer nada  todo o dia!
Terceiro:
- "Querido Filipe   foste o único filho que teve o bom senso para saber  que o que  a  tua mãe realmente gosta é de coisas simples.
Aquele franguinho estava delicioso, muito obrigada!!"

Neta e Avó

A avó, de 80 anos, diz à neta, com 13 anos.
- Eu, com a tua idade já trabalhava.
A neta responde:
- Eu, com a tua idade ainda vou estar a trabalhar…

terça-feira, dezembro 13, 2011

Giorgione-Virgem com o Menino entre S.António e S.Roque

Nesta obra de Giorgione,denominada de "Virgem com o Menino entre Santo António de Pádua e São Roque", realizada por volta de 1511, podemos observar a representação da Virgem no centro da pintura, flanqueada por Santo António de Pádua à esquerda e São Roque, à direita.Esta forma de conceber a composição é própria do Quattrocento.A Virgem e o Menino apresentam um esquema triangular, que contrasta com a verticalidade das posturas adotadas pelos santos que a acompanham. Nesta tela chamam também a atenção as cores vivas empregues por Giorgione na representação das vestimentas das referidas personagens.Destacam-se as vestes vermelhas da Virgem. Em meados do século XVII, o duque de Medina ofereceu esta obra a Filipe IV de Espanha.Inicialmente a mesma foi atribuída a Pordenome e, mais tarde a Francesco Vecellio.Porém, hoje em dia, a crítica divide-se entre os pintores Ticiano e Giorgione, partidários de ambas as posições. Enquanto a forma de representar as personagens e a utilização desta intensa gama cromática tem tudo a ver com Ticiano, por outro lado, a espiritualidade atmosférica captada é própria de Giorgione.A figura da Virgem inscreve-se num triângulo.Foram encontradas semelhanças entre esta Virgem e a Virgem de Castelfranco, de Giorgione, pela utilização de vastas massas cromáticas contrapostas.Por sua vez é também muito curiosa a representação de Santo António, que, em vez de dirigir o seu olhar para a Virgem e para o Menino, parece olhar para algo que ocorre na tela.A posição de são Roque também é estranha, quase teateal, posto que a perna esquerda quase totalmente desnuda está firme sobre uma pedra,  enquanto a outra está coberta por uma espécie de meias de cor cinza.Segura um pau e olha firmemente para a Virgem.Esta tela algo teatral denominada de  "Virgem com Menino entre Santo António de Pádua e São Roque" é óleo sobre tela e pode ser apreciada no Museu do Prado em Madrid.

Visita a Manhattan

http://www.airpano.ru/files/manhattan/manhattan.html

Lily Downhill

Um passeio de bicicleta montanha abaixo… e Lily, a fantástica cadelinha que não larga o dono!

Fados de Amália Rodrigues

Agora que o FADO é Património Imaterial da Humanidade,e em homenagem a Amália Rodrigues após 10 anos após o seu falecimento, este link é uma relíquia pois contém os poemas cantados pela Diva do Fado. É só escolher e clicar.Uma Maravilha.
Link:  http://letras.terra.com.br/amalia-rodrigues/

segunda-feira, dezembro 12, 2011

Por que Eva comeu a Maça?

Não foi fácil, não!

No início, Eva não queria comer a maça.
- Come - disse a serpente, muito astuta! - e serás como os anjos!
- Não - respondeu Eva. Virando a cara para o lado!
- Terás o conhecimento do Bem e do Mal - insistiu a víbora.
Cruzou os braços, olhou bem na cara da serpente e respondeu firme:
- Não!
- Serás imortal.
- Não! Já disse!
- Serás como Deus!
- NÃO, e NÃO! Já disse que NÃO!
Irritadíssima, quase enfiando a fruta goela abaixo, a serpente já estava desesperada e não sabia mais o que fazer para que aquela mulher, de princípios tão rígidos e personalidade tão forte comesse a fruta. Até que teve uma idéia, já que nenhum dos argumentos havia dando resultado...
Ofereceu novamente a fruta e disse com um sorrisinho maroto:
- Come, parva!!! MAÇA EMAGRECE!
Foi tiro e queda!

sábado, dezembro 10, 2011

5.000 Pintores

5.000 PINTORES E  MAIS  DE 100.000 PINTURAS
Imperdoável não partilhar esta maravilha.
É como ter um gigantesco catálogo de pintura para guardar e ver quando desejarmos.
QUANDO ABRIR A PÁGINA VÊ O FIM DE TUDO E  SELECIONA O PINTOR QUE QUERES PROCURAR ou o quadro que te agrade...e boa visita!
http://www.mystudios.com/artgallery/

Projeto de Deus

 Quando DEUS criou os maridos, prometeu às mulheres que os maridos bons e ideais seriam encontrados em todos os cantos do mundo...
Depois......, fez a Terra redonda!

Jantar de Confraternização

Um grupo de amigos de 50 anos discutia para escolher o restaurante onde iriam jantar. Finalmente decidiram-se pelo RestauranteTropical porque as empregadas eram lindas e usavam mini-saias e blusas muito decotadas.
10 anos mais tarde, aos 60 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram para escolher o restaurante. Decidiram-se pelo Restaurante Tropical porque a comida era muito boa e havia uma excelente carta de vinhos.
10 anos mais tarde, aos 70 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram para escolher o restaurante. Decidiram-se pelo Restaurante Tropical porque lá havia uma rampa para cadeiras de rodas e até um pequeno elevador...
10 anos mais tarde, aos 80 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram para escolher o restaurante. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante Tropical.
Todos acharam que era uma grande idéia porque nunca tinham ido lá antes...

Marionetes

SENSACIONAL SHOW DE MARIONETE!!!!!
http://www.youtube.com/embed/kPvciIdDZAE

quinta-feira, dezembro 08, 2011

Diogo Rivera-Auto-Retrato

Auto-Retrato

Detroit
Diego Rivera, de nome completo Diego María de la Concepción Juan Nepomuceno Estanislao de la Rivera y Barrientos Acosta y Rodríguez nasceu em Guanajuato a 8 de Dezembro de 1886 e morreu na Cidade do México a 24 de Novembro de 1957, fazendo hoje 125 anos do seu nascimento.De origem judaica, este homem foi um dos maiores artistas do século 20, um pioneiro da pintura política, militante da luta pela libertação popular e da revolução comunista, assim como foi um livre pensador não deixando ao longo de levar uma vida privada recheada de excentricidades. Não é de admirar que o auto retrato que aqui aparece, Rivera esteja com um ar abatido, fatigado e algo gasto.Ele próprio cria um rosto cansado e céptico onde a devastação do tempo não deixa de ser sentida. A linha dos ombros torna-se uma diagonal, sobre o qual se projeta a cabeça com o cabelo arranjado e o rosto  flácido e cheio de rugas. As sobrancelhas estão elevadas e vigilantes, as pálpebras pesadas. A boca rosada e muito bem delineada,apresenta uma emoção quase imperceptível.A vida, os amores e o trabalho de Rivera estavam cheios de contradições: no exílio americano aceitou encomendas do "inimigo da classe" ou seja, do magnata  Rockefeller, e depois tornou-se em seu feroz crítico.Foi também  membro importante do Partido Comunista Mexicano de onde foi expulso em 1929 por ter optado por Trotski em vez de Estaline.Era também um homem capaz de se apaixonar entusiasticamente por quase tudo, mas não imediatamente; era capaz de ser infiel a quase toda a gente e depois a eles regressar fielmente. A sua vida apaixonada foi paralela à sua arte feita de constante inovação, tumultos e exaltações.Após ter visitado a Europa e estudado os frescos de Giotto em Itália, bem como o Cubismo de Picasso e as figuras desnudas de A.Modigliani em Paris, voltou ao seu México natal em 1921 para combinar a política com a sua arte de libertação. Duas máximas determinam o curso da sua arte a partir de então. Uma: a arte não pode ser imparcial mas tem de servir de arma na guerra pelo comunismo; dois: a arte tem de falar a linguagem do povo, tem de educar o povo, através das imagens, a falar e  a ver. O meio mais importante para isso foi a Pintura Moral Narrativa.Os seus famosos murais, monumentais e instrutivos, eram compostos nos edifícios públicos de modo a ensinar, incitar e dar prazer aos nossos sentidos. Diogo Rivera dedicou-se a esta tarefa,mas teve ao mesmo tempo de aprender a reconhecer os limites da eficácia e verdade propagandística.Este Auto-Retrato que aqui surge é um óleo sobre tela e faz parte da Colecção Burt B.Holmes, Houston, no Texas.

 

quarta-feira, dezembro 07, 2011

Tango

 Uma forma diferente e Muito Original de Dançar o Tango!Fabuloso!
http://www.youtube.com/watch_popup?v=5hIc2ODfRxQ

segunda-feira, dezembro 05, 2011

Henry Fuseli -Édipo Maldizendo o seu Filho Polinices

Trata-se de uma tela do pintor e clérigo suíço, Henry Fuseli (1741-1825), que se estabeleceu em Londres em 1780, data a partir da qual começou a leccionar pintura na Real Academia. É uma obra um tanto dramática que narra o episódio retirado do drama Sófocles, ´'Édipo em Colona'.Nesta tragédia grega, o rei Édipo abandonara Colona, uma povoação perto de Atenas, depois de ter descoberto, com verdadeiro horror, que matara o seu pai e casara com sua mãe. Por causa desse horror, Édipo arrancou os próprios olhos, pelo que aqui aparece representado na obra de Fuseli com as órbitas ensanguentadas.À esquerda da composição, vemos, ajoelhado, um dos filhos de Édipo, Polinices, que procura conquistar o apoio do seu pai para que possa reinar em vez do seu irmão.Escandalizado com a deslealdade dos seus dois filhos, decide condená-los a um duelo de morte entre eles.O rei cego estende o seu braço, maldizendo o seu filho Polinices, enquanto este procura proteger-se com a ajuda dos braços.A mulher que vemos em primeiro plano, ajoelhada a chorar, de costas para o espectador, é Ismene, a débil irmã de Antígona, cuja pele parece de alabastro.Por sua  vez, Antígona encontra-se entre  entre o pai e o irmão e toda a sua atitude é de procura de reconciliação entre pai e filho.A postura um tanto ou quanto forçada de Polinices tentando fugir de seu pai, põe em evidência a sua vigorosa musculatura, visível através do traje vermelho que veste, muito justo ao corpo, quase parecendo uma segunda pele curtida a vermelho sangue.Esta portentosa obra, tem consideráveis dimensões de 149,8x165,4cm é um óleo sobre tela e pode ser vista no National Gallery of Art em Washington. 

Um Bom Spot Publicitário

O prazer de Imaginar!fantástico!
http://www.youtube.com/watch_popup?v=qvl7kG82EfI&vq=medium

sexta-feira, dezembro 02, 2011

Reencontros

De vez em quando quando julgamos que as nossas relações amorosas há muito terminaram e se esfumaram no tempo...eis que o surge bem à nossa frente um desses fantasmas do passado.Quando esse fantasma foi alguém que amamos e cuja separação foi dolorosa, o reencontro tornasse penoso, visto que não sabemos bem onde colocar os olhos, tropeçamos os pés, olhamos para as mãos e ficamos meias tontas sem saber bem para onde nos virarmos.O que havemos de fazer? Contorná-lo e seguir em frente de cabeça erguida e pernas inseguras? Se fazemos isso daremos a ideia que ainda não fechamos bem a porta, que apenas a temos encostadinha e sempre à espreita atrás da mesma.Pode também surgir a suspeita que essa nossa atitude de desprezo é indicadora de algum despeito da nossa parte...porque ainda não o esquecemos.Então o melhor é enfrentar o 'touro pelos cornos', olhos nos olhos, abrirmos as portas do nosso ser e deixar que este passado poeirento e bafiento se vá de vez.Quando isso acontece, quando esse confronto se dá, há como que um alívio da alma, posto que o remédio que é o tempo fez o seu trabalho e as sequelas do passado, as feridas deixadas foram-se fechando lentamente e agora o que sobram são pequenas cicatrizes que se esfumar-se-ao de vez quando conseguimos fechar a porta que tínhamos deixado apenas encostada e que espreitávamos de quando em vez na esperança de um retorno que contudo nunca aconteceu.Seguimos então em frente, na certeza que a vida não é fácil e que outros encontros e desencontros se darão, novos fantasmas se acumularão nos vastos armários  existentes na  nossa vida.Uns serão esquecidos para sempre, outros surgirão de quando em vez, temos é que ter a serenidade e a paz de espírito para os saber enfrentar.

quinta-feira, dezembro 01, 2011

Os Vazquez apresentam: Adele

A prodigiosa voz de Angie, menina mexicana com apenas 10 anos, acompanhada pelos seus irmãos Gustavo e Abelardo, num fantástico ‘cover’ da música do momento, ‘Rolling In The Deep’, de Adele. Sem palavras!

segunda-feira, novembro 28, 2011

O Fado - José Malhoa


O Fado
Agora que o Fado está na ordem do dia, devido ao facto de ter passado a ser considerado Património Imaterial da Humanidade, não posso deixar de aqui abordar um belíssimo quadro  de José Malhoa denominado "O Fado".Esta obra enunciada como uma obra prima de Malhoa e reproduzido na Ilustração Portuguesa em 15-04 de 1912, teve uma primeira apresentação pública no Salão da Sociedade  de Artistas Franceses em 1912, e em Lisboa só em 1917 na 14º Exposição da Sociedade Nacional de Belas Artes.Malhoa passa do desregramento coletivo consentido na sociedade rural figurada na sua obra "Os Bêbados" (1907) para o individualismo e transgressão moral e urbana do O Fado (1910).José Malhoa sempre procurou modelos reais, só que agora a cena dá-se na boémia popular da Mouraria, na altura bairro mal afamado de Lisboa, onde Malhoa encontrou Amâncio, arruaceiro e tocador de guitarra e a sua amante, a Adelaide da Facada.Pela luz incidente no colo e a mancha vermelha da saia, é esta mulher o núcleo da composição, alongando-se sobre a mesa entre o cigarro esquecido numa mão e a cabeça apoiada na outra, o olhar e a tenção fixando-se no homem que canta e toca guitarra. A lassidão da pose íntima e o desarranjo da roupa da mulher completam-se no aprumo janota do amante aplicado na execução do fado.Todo o cenário envolvente vai acrescentando notícias desta existência marginal, a indiferença pelo confronto burguês, evidente na diversidade do mobiliário, na cortina frente à porta, a crença em Deus nas estampas religiosas fixadas na parede.Sobre a mesa, a garrafa de vinho ingrediente fundamental desta boémia onde se exercitam os sentidos e se cultivam prazeres e ócios.Esta cena de interior, brilha pela sentimentalidade da da situação amorosa, ao mesmo tempo íntima e também marginal.O individualismo das personagens justifica-se e ganha sentido maior e colectivo na canção castiça, a lisboeta e nacional que é o FADO.Esta magnífica obra é um óleo sobre tela, (1.51x1.86) e pode ser apreciada no Museu Malhoa nas Caldas da Rainha.

As Aventuras de Tintin – O Segredo do Licorne

Adorei este Tintin-O Segredo de Licorne.Diverti-me imenssssoooo!É um filme Spilberguiano do princípio ao fim.Os 3 álbuns que compõem o filme estão muito bem interligados.Jamie Bell está perfeito no "papel" de Tintin, o actor Andy Serkis, dá corpo ao doido do Capitão Haddock de uma forma genial, a/o Milu está soberbo (durante todo o filme parecia estar a ver a minha cadela que é precisamente uma fox terrier), Daniel Graig, irreconhecível no temível Pirata Rackham, e obviamente não poderia aqui deixar de salientar o Dupond e Dupont, sempre metidos nas mais incríveis trapalhadas.O mais engraçado é que o filme está feito de tal forma que acabamos por nos esquecer que estamos perante figuras animadas, visto que os actores que dão corpo aos personagens estão bem presentes tanto na fisionomia, como na movimentação do corpo e obviamente na voz. Adivinham-se várias sequelas, até porque o fim do filme aponta para mais uma aventura, fazendo com que o final fique 'quase' em aberto.Estão de parabéns  e Peter Jackson. Para mim este Tintin é um grandes filmes de aventuras deste ano de 2011.

sábado, novembro 26, 2011

Os Limites da Cidade

Espetacular filme ‘The City Limits’ de Dominic Boudreault, que ilustra a dualidade entre a cidade e a natureza.As cidades: Monreal, Quebec City e Toronto (Canadá), Nova Yorque e Chicago (EUA). A música: ‘Time’, por Hans Zimmer.

Você é médico?

Uma senhora, com seu filho de 5 anos, está comer num restaurante.De repente, a criança mete uma moeda na boca e engasga-se.A mãe tenta fazê-lo cuspir a moeda dando-lhe palmadas nas costas, sem sucesso.O menino está começando a mostrar sinais de asfixia e a mãe, desesperada,grita por auxílio.
Um homem levanta-se de uma mesa próxima, e com surpreendente calma,sem dizer uma palavra, ele baixa as calças do miúdo, segura os seus pequenos testículos,aperta com força, e puxa para baixo violentamente.
Automaticamente, o garoto com dor irresistível cospe a moeda, e o fulano, com a mesma facilidade com que ele se aproximou, voltou para sua mesa sem dizer uma palavra.
Após algum tempo, a senhora, já tranquilizada, aproxima-se para agradecer ao senhor por salvar a vida
de seu filho, e pergunta:
- Você é médico?
- Não senhor, eu sou funcionário das Finanças,e a minha especialidade é"espremer tomates até sacar a última moeda".

Minha Rica Saúde

Quando temos um problema de saúde é que vemos o quando é bom estarmos saudáveis.O que digo aqui parece uma redundância mas é o que aconteceu comigo nos dias em que estive com uma terrível contratura muscular e não podia virar o pescoço.As dores eram tantas, mas tantas que dei por mim sentada a chorar de dores.Obviamente tive que ir de urgência para o hospital e levar durante uma semana injecções que paulatinamente me foram retirando as dores até voltar a mover o pescoço normalmente. Quando pude fazer isso foi uma alegria imensa, posto que após uma semana de intensas dores pude fazer gestos tão banais como virar na cama sem gritar de dores, conseguir guiar o meu carro, conseguir comer normalmente, ler um livro e vestir-me.Ainda tenho algumas dificuldades em me virar mas sei que aos poucos melhorarei e tudo voltará ao normal.As pessoas que comigo socializam e já tiveram esse problemas de saúde compreendem o que sinto e todas são unânimes em dizer que de fato as dores são terríveis.Agora que já estou melhor, dou-me conta mais uma vez, da nossa fragilidade corporal.Não somos nada, de um momento para o outro mudamos o nosso estado de saúde, um dia podemos estar tomados da mais intensa vitalidade e no outro podemos estar feitos em cacos.Num momento podemos estar vivos e ao virar da esquina podemos ser assaltados, levar uma faca, ou um tiro, ser atropelados ter um AVC e desaparecermos como grãos de areia levados pelas ondas do mar.Somos pequenas rochas, atirados para este mundo, tentamos sobreviver às inclemências da vida, por vezes somos pontapeados, traídos, ofendidos, vilipendiados, sofremos uma panóplia de dissabores, mas nem tudo é mau, posto que  ao  longo da nossa vida, vivemos momentos  maravilhosos, e se tivermos sorte, teremos  amigos solidários com as nossas mazelas, presentes nos momentos bons e nos momentos maus, teremos a chance de nos alegrarmos com paisagens deslumbrantes, visitaremos cidades maravilhosas, apreciaremos obras de arte de beleza incomensusáveis,veremos com intensa emoção obras cinematográficas e teatrais incríveis, e se tivermos um bom anjo da guarda teremos por companhia alguém que nos ame sinceramente,temperando-nos o corpo e a alma...e algum animal de estimação que nos acompanhará à porta quando sairmos e estará à porta quando chegarmos...São essas vicissitudes e alegrias que nos fazem suportar a vida que temos, uma vida que não e fácil, que é recheada de pequenas armadilhas que temos que ir desmontando e seguir em frente.A nossa vida é uma breve passagem e muitas vezes só nos damos conta disso quando o nosso corpo colapsa e é por isso que temos que ir saboreando-a de uma forma pacífica, solidária, e o mais alegremente possível.

quinta-feira, novembro 24, 2011

Performances Orientais

Ao ver estas performances pergunto eu:
Onde estão presos os sinos?
Onde estão sentadas as mulheres da orquestra?

Onde estão presas as mulheres que flutuam?
Onde estão os cabos?
Como conseguem tanto equilibrio em cima de uma roda?
Aquelas mulheres são reais?
Incrível!
 http://www.youtube.com/watch_popup?v=6HfDeTVpinU

http://www.youtube.com/watch_popup?v=BOjOGKu3jTc&feature

quarta-feira, novembro 23, 2011

Memórias

A mente humana é um instrumento maravilhosamente complexo, mas também explenderosamente falacioso.Todas as memórias que possuímos, não estão inscritas num quadro de ardósia imutável e permanente. Essas maravilhosas ou terríveis memórias que fazem de nós aquilo que somos tendem irremediavelemte e para grande desgosto nosso, a apagarem-se com o passar dos anos.Essas memórias não só se vão apagando paulatinamente e ao longo dos anos, como também vão mudando com grande frequência ou desenvolvendo-se pela incorporação de novas memórias, de novas vivências que quotidianamente vamos adquirindo.Desde que nascemos e caso a nossa vivência siga dentro dos padrões da normalidade, estamos sempre abertos à  aprendizagem.Essa aprendizagem é necessária , posto que é ela que permite a nossa socialização.Assim, o  nosso cérebro vai sendo moldando conforme aquilo que vamos adquirindo. Contudo, ele tem necessidade de ir esquecendo e são esses pedaços da nossa vida que vão sendo 'deixados para trás', e que muitas vezes tentamos recuperar sem o conseguir, que fazem com que tenhamos necessidade de ter em nossa posse objectos recordativos desse passado que não volta mais e que por mais que tentemos não conseguimos recordar. Muitas vezes ficam pedaços dessas memórias, fragmentos que tentamos unir, ligando-os a determinados lugares, acontecimentos e   pessoas. Quando as memórias são traumáticas, ou desaparecem por completo, pois o cérebro esconde-as protegendo-nos desses traumas, ou então, não o conseguindo fazer o indivíduo recorda-as repetidamente, acabando por se afundar num abismo de tristeza e negritude que só tem saída apelando a ajuda externa.Com o avançar da idade  tendemos a recordar-nos do nosso passado, refugiamo-nos nele, é como se houvesse uma suspensão do nosso ser, vivemos fisicamente o presente mas o nosso cérebro puxá-nos para trás para as memórias do passado,visto que não conformados com o fim que se aproxima tendemos a fugir para memórias que nos fizeram felizes, posto que ao fim e ao cabo o que todos nós procuramos é a felicidade consagrada em múltiplas formas.É como se de dentro da câmara fotográfica que o nosso cérebro se tornou, apenas pudesse ser revelado as fotos em que nos encontramos em ângulos mais apropriados e na companhia daqueles que nos foram mais queridos. São fotos a cores, colorindo o nosso presente de um passado que foi... e que por mais que queiramos nunca mais voltará a nós.

Cataratas do Iguaçu

Panorâmica Aérea, de 360 graus, que os russos fizeram das cataratas do Iguaçu.
Observe a primeira imagem que aparece, e logo no mapa ao lado,  ao clickar nos diferentes pontos (bolinhas e estrelas verdes),  pode passar até pelas passarelas por onde se caminha.
http://www.airpano.ru/files/brasil/iguasu/iguasu_eng.html

segunda-feira, novembro 21, 2011

Nos Idos de Março

Portentosa realização e actuação de George Clooney, portentosa interpretação de Ryan Gosling,Philip Seymour  Hoffman, Paul Giamatti, Evan Rachel Wood, Marisa Tomei, Jeffrey Wright,entre muitos outros.Amei o filme do princípio ao fim.Uma estupenda lição de cinema, onde ficamos a saber quase tudo o que há a  saber sobre os bastidores das Primárias Norte Americanas, onde tudo vale, e o que sobra é apenas e só o sabor amargo do poder pelo poder.A continuar assim nesta linha George Clooney 'arrisca-se' a ser (se já que não o é) um dos grandes realizadores deste século XXI.Para além de uma cara invejável temos alguém  que não condescende com nada e nos dá uma visão algo turva de uma América muito virada sobre si própria e onde os meandros da política e os seus intervenientes são tanto ou mais assustadores, quando actuam na convicção do que o que estão a fazer é o mais certo e o objectivo a ser alcançado vale por todas as torpezas.Numa palavra:Magnifico este "Nos Idos de Março".

O Lago dos Cisnes

sexta-feira, novembro 18, 2011

Georges de la Tour-A Adivinhadora de Fortunas

Este quadro representa um tema muito popular entre os pintores caravagistas do século XVII: uma cigana está muito matreiramente a predizer o futuro de um jovem, enquanto os seus colaboradores presentes pretendem roubá-lo.Trata-se de uma cena muito teatral e divertida, derivada das peças dramáticas e satíricas do momento, tão em voga entre a sociedade.De facto o rosto da cigana, enrugado e com uma boca desdentada que acentua as suas gengivas, está tratado com o realismo próprio do pintor. Por sua vez os olhos da mulher situada à direita do homem que está a ser roubado, expressam na perfeição, o estado de alerta e o secretismo da situação e relembram a literatura pitoresca tão em voga no século XVII. Esta obra foi realizada durante o período de maior maturidade do artista, quando Georges de la Tour tinha uns quarenta anos.O seu estilo inconfundível e particular verifica-se tanto na geometria das formas como na luz artificial que invade o espaço. A obra está assinada em cima, à direita  e ao alto da tela e tem o nome da cidade onde foi realizada, Lunéville, região natal do pintor, situada em Lorena.A data da realização é bastante duvidosa, indo desde 1620 até 1639.Este "A Adivinhadora de Fortuna",é  um óleo sobre tela e pode ser visto no MoMa, Metropolitam Museum of Art. 

quinta-feira, novembro 17, 2011

De volta ao início

A história de um lavrador que vai transformando a sua quinta familiar numa fábrica industrial… até se aperceber dos seus erros, e regressar a um modo de vida sustentável. Filme ‘Back to the Start’ de Johnny Kelly, com a música ‘The Scientist’ dos Coldplay interpretada pela lenda do country Willie Nelson.Esta campanha, promovida pela Chipotle Mexican Grill (EUA), procura enfatizar a importância de um sistema alimentar saudável.

quarta-feira, novembro 16, 2011

Trilhando a Vida

Ao longo da nossa vida, todos nós  fazemos grandes esforços para nos irmos afastando daquilo que os nossos pais nos 'forçaram' a ser. Esse forçaram está entre aspas, porque o que os bons progenitores fazem é educar os seus filhos o melhor que podem e sabem  dentro da tábua de valores existente na sociedade e no próprio seio familiar.O que acontece, é que esses filhos mais tarde ou mais cedo tentam abandonar o mais possível os ensinamentos usufruídos durante a sua adolescência.Penso que é  saudável deixar as coisas esfumarem-se, posto que na nossa vida, não há dados adquiridos, não há aquilo que podemos chamar 'cartas marcadas', uma vez que a nossa vida é feita de constante ganho e perdas.Torna-se saudável sabermos quando devemos fechar determinadas portas e abrir certas janelas, é saudável abrir  novos capítulos da nossa vida e fechar outros. Tal como um certo ditado diz, "as pedras e as palavras atiradas jamais voltam para trás", e assim raramente podemos voltar atrás e fazer com que as coisas aconteçam novamente. Devemos ter a capacidade, o 'jogo de cintura' de por vezes parar, deixar de ser quem éramos para nos transformarmos naquilo que realmente somos. Temos que assumir o nosso papel na sociedade e isso nem sempre é fácil, até porque milhões de outros seres humanos batalham pelo menos.Acredito que somos um projecto, um plano que só está terminado quando nos finamos.Acredito que chegando à idade do discernimento tomamos a rédea desse plano, deixando para trás o plano traçado pelos que velaram por nós.Uns acreditam que há um ser superior que velará sempre pela sua vida, 'qual anjo da guarda', presente nos bons e nos maus momentos. Outros consideram estarmos sozinhos no mundo e nada havendo nesse  plano superior, há que seguirmos com a nossa vida arcando com as nossas responsabilidades, com as nossas qualidades e defeitos, e que no fim do nosso projecto nada existe a não ser aquilo que deixamos aqui plantado, sejam filhos, uma árvore ou um livro.A vida é dura,os caminhos raramente são planos, as tristezas, a solidão, a ingratidão, a traição, as desilusões, uma constante.Mas, há também momentos de alegria e exaltação, de glória e contentamento, de riso e de extâse, de prazer e de alegria. É precisamente armados com essas ferramentas que paulatinamente nos vamos aproximando da nossa realização pessoal e é com elas que estamos preparados e disponíveis  para vivermos o dia a dia e devemos procurar fazê-lo o mais alegre e honestamente possível.

terça-feira, novembro 15, 2011

A Pedra

(...) A pedra está aí.
O distraído tropeça nela, o violento usa-a como projéctil. 
O empreendedor contrói com ela, o caminhante usa-a para se sentar quando está cansado.
Para as crianças é um brinquedo.
Drumond fez dela um poema, David usou-a para matar Golias e Miguel Ângelo tirou dela a mais bela das esculturas.
Em todos estes casos, a diferença não estava na pedra...mas na pessoa".
Miguel A.S.Guerra, Cenouras, ovos e leite

Fotos da National Geographic

domingo, novembro 13, 2011

Francisco de Goya-Os Fuzilamentos de 3 de Maio na Montanha do Príncipe Pio

F.Goya
Esta portentosa obra de Francisco de Goya (1746-1828), mostra o momento em que, depois da sublevação dos madrilenos contra os invasores, se procedeu ao fuzilamento em massa dos patriotas que haviam lutado com mais afinco.Este terrível massacre teve lugar em diferentes lugares, mas Goya retrata precisamente o que aconteceu na montanha do Príncipe Pio, onde às quatro da manhã cairam sob a descarga de balas, quarenta e três patriotas. O relato contado por Trucha, criado de Goya, é o que melhor descreve a cena captada pelo pintor.Reza assim:"no meio de poças de sangue vimos um monte de cadáveres, uns de barriga para baixo, outros de barriga para cima, um todo encolhido beijava a terra, outro com as mãos levantadas para o céu, pedia vingança e misericórdia". Trucha acompanhou Goya ao horrendo lugar onde tinham decorrido os fuzilamentos. A pincelada solta com com que a obra está concedida põe em relevo a rapidez com que deve ter sido executada pelo artista. A cena, de um grande dramatismo, tem como protagonista a personagem de camisa branca e calças amarelas que os soldados estão prestes a fuzilar.O seu rosto revela uma grande angústia, patenteada pelo franzir das sobrancelhas e da posição da boca voltada para baixo. A poça de sangue, sobre o qual jaz um dos mortos, de um realismo incrível, é conseguida através de pinceladas rápidas e de um forte empaste de tonalidades avermelhadas. O companheiro que está junto dele apresenta um rosto de enorme angústia, pois talvez seja o próximo a morrer.Um dos homens que se encontra mesmo ao lado, em segundo plano tem os punhos metidos na boca, sublinhando deste modo, a dor e a angústia que caracterizam esta incrível e  trágica obra, reveladora de todo o horror, maldade do qual o ser humano é capaz.Esta obra,"Os Fuzilamentos de 3 de Maio na Montanha do Príncipe Pio", tem a dimensão grandiosa  de 2.68x3.47cm e pode ser vista  em todo o seu esplendor, no Museu do Prado em Madrid.

A Criatividade e o Tempo

A Kreativ Magazin ‘contratou’ 30 dos maiores especialistas mundiais em criatividade (as crianças, claro)! e colocou-as perante um desafio: desenhar um relógio em 10 segundos… e depois, em 10 minutos. Os resultados são surpreendentes!

Aguarela do Brasil

Essa maravilha de desenhos animados, foi criada nos anos 50, inteiramente à mão, sem computadores, e sem os efeitos digitais ou recursos mágicos do cinema de hoje.Contudo é uma pequena pérola do cinema da animação que os amantes deste tipo de cinema nunca deixarão de admirar!
http://www.youtube.com/watch_popup?v=_mQHr8bAojU&vq=small

sexta-feira, novembro 11, 2011

Vicissitudes da Vida

Sempre me afligiu a desresponsabilidade e a cobardia.Poderia enumerar aqui outras coisas que me afligem, mas fiquemo-nos por essas duas, o que já é bastante A desresponsabilização de um acto quando feita por nós acaba por ser uma fuga... a mais completa cobardia porque deixamos de ser nós e refugiamo-nos  em algo que não sabemos bem definir.Temos medo que nos apontem o dedo, que nos acusem, que nos atormentem, que nos julguem mal, quando queremos que nos julguem como 'super humanos' que no fundo todos julgamos ser, por mais modestos que procuramos ser.Quando a cobardia e a desresponsabilização se 'colam' àqueles que são muito próximos de nós, ...aqueles que amamos...ao homem que amamos...e quando essa cobardia se alia à mais completa desresponsabilização, a agonia, a tristeza e a desilusão fazem a sua aparição e mansamente se infiltram, minando a relação e no fim quando enfrentamos a pessoa e a olhamos nos olhos, é como víssemos através dela e não para dentro dela. É como  se ela fosse um vidro no qual podemos olhar para o outro lado, porque o indivíduo  já lá não está, apenas a sua presença física.Acabamos por nos aperceber que já não sobra nada, porque as desilusões são muitas, os defeitos exacerbados, os embustes e a desonestidade uma constante.Então, o que nos resta fazer? Seguir em frente e pensar que ao menos sozinha  assumimos o que temos de bom e de mau, de perfeito e de imperfeito,sempre na esperança que mais tarde ou mais cedo, alguém que seja capaz de assumir os seus defeitos esteja disposto a acompanhar-nos nas vicissitudes deste  projecto a que chamamos ' a nossa vida'.

quinta-feira, novembro 10, 2011

O Melhor do Homem

200 retratos em 200 segundos, instantes magníficos captados nas ruas de Nova Yorque, selecionados de entre as 1400 fotos do projeto ‘Humans of New York’.Muito Bom!

sábado, novembro 05, 2011

Winslow Homer-Northeaster

O período que o magnífico  pintor americano Winslow Homer passou em Inglaterra, numa vila de pescadores, durante os anos de 1881 e 1882, provocou uma mudança  definitiva na temática da sua obra.A partir dessa época, concentrou-se em cenas de natureza, em grande escala e, especialmente em marinas como a que aqui se apresenta.Depois de regressar aos Estados Unidos e de ter ficado a sua residência na vila de Proust's Neck, continuou com essa tipo de temática.O artista começou a pintar uma série de marinas, até à metade da década de 1890, que descreviam as paisagens da costa do Maine, eliminando as figuras humanas, caracteristicas das suas obras, e que frequentemente, apareciam a lutar contra as forças da natureza.Esta obra  faz parte desse grupo e, embora não se vejam nem marinheiros nem náufragos, é evidente a potência destruidora das ondas do mar, através da sua grande altura e da força com que embatem nas rochas, criando uma espuma grandiosa.Ondas alterosas fazem com que o barco quase se vire, e o jovem negro que nele se encontra luta desesperadamente para o manter à tona.O perigo ronda não só da parte desse  mar alteroso mas  também pelas figuras marinhas que rondam o pequeno barco.A força expressiva das obras de Winslow Homer, que faria dele um dos mais importantes artista dentro do Realismo americano, é evidente no horizonte cinzento e enublado, provocando um sentimento de angústia e claustrofobia muito impressionantes.Esta obra de W.Homer, denominada de "Northeaster", é um óleo sobre tela e pode ser apreciado no MoMa, Metropolitan Museum of Art.

quarta-feira, novembro 02, 2011

Um Bom Spot Publicitário

A Carlsberg colocou 148 motards numa sala de cinema e deixou apenas 2 lugares livres para um casal (que pagou o seu bilhete) se poder sentar mesmo no meio dos 148 marmanjoões de aspecto pouco simpático.Veja as reacções de vários casais.Muito original!

A Importância do Café e do Professor

Dois leões fugiram do Jardim Zoológico.

 Na fuga, cada um tomou um rumo diferente. Um dos leões foi para as matas e
 o outro foi para o centro da cidade. Procuraram os leões por todo o lado,
 mas ninguém os encontrou.

 Depois de um mês, para surpresa geral, o leão que voltou foi justamente o
 que fugira para as matas. Voltou magro, faminto, alquebrado. Assim, o leão
 foi reconduzido a sua jaula.

 Passaram-se oito meses e ninguém mais se lembrou do leão que fugira para o
 centro da cidade, quando um dia, o bicho foi recapturado. E voltou ao
 Jardim Zoológico gordo, sadio, vendendo saúde.

 Mal ficaram juntos de novo, o leão que fugira para a floresta perguntou ao
 colega:

 - Como é que conseguiste ficar na cidade esse tempo todo e ainda voltar com
 saúde? Eu, que fugi para a mata, tive que voltar, porque quase não
 encontrava o que comer ... !!!

 O outro leão então explicou:

 - Enchi-me de coragem e fui esconder-me numa repartição pública. Cada dia
 comia um funcionário e ninguém dava por falta dele.

 - E por que voltaste então para cá? Tinham acabado os funcionários?

 - Nada disso. Funcionário público é coisa que nunca se acaba. É que eu
 cometi um erro gravíssimo. Tinha comido o diretor geral, dois
 superintendentes, cinco adjuntos, três coordenadores, dez assessores, doze
 chefes de seção, quinze chefes de divisão, várias secretárias, dezenas de
 funcionários e ninguém deu por falta deles!
Mas, no dia em que eu comi o tipo que servia o cafezinho... Estraguei tudo!!!

Um Conselho:
Experimenta tambem comer um professor para ver quanta gente vai gritar!!! Não
 por sentir falta do professor, mas por não ter quem fique com as crianças!!!!!!!!!!!!

domingo, outubro 30, 2011

Andy Warhol-Marilyn Monroe


Nesta tela,o rosto da icónica actriz Marilyn Monroe é apresentado como uma máscara impenetrável de cores vivas e luminosas. Publicado  em dez combinações diferentes de cor, utilizando o processo impessoal da serigrafia, o quadro multicolor retrata a imagem da actriz de modo surpreedentemente lúgubre. Marilyn Monroe é provavelmente o tema mais famoso de Andy Warhol.Este utilizou um anúncio publicitário como base para este e outros "retratos" de Marilyn, apresentando-nos uma imagem estática que reforça o poder universal desta trágica personagem do cinema de Hollywood. A representação da Marilyn, representada como um produto da cultura de massas, faz a ligação ao movimento de Arte Pop americana. Andy Warhol, pintor, artista  gráfico e realizador, nascido em Pittsburg em 1928 e falecido em 1987 em Nova Iorque, foi  uma figura de culto incontornável no panorama artístico mundial. No entanto e ao contrário do que se poderia pensar, foi sempre muito reservado e tímido nas suas aparicões públicas. Costumava dizer que," se quiserem saber tudo acerca de mim...olhem para a superfície dos meus quadros, está tudo lá...não há mais nada". Esta obra intitulada de "Marilyn", foi realizada por Warhol em 1967, é serigrafia sobre Papel, e pode ser vista  no Museum Of Modern Art de Nova Iorque.

Um Bom Conselho

sexta-feira, outubro 28, 2011

Jogo de Tronos






Já está em exibição em Portugal a magnífica série  "Jogo de Tronos", baseada nos livros de Jeorge R.R. Martin.A série com a chacela da HBo está muito bem conseguida, tem bons actores, os cenários são fantásticos, a história bem urdida e a banda sonora é fantástica. A série prende desde o 1º episódio e faz com que desejemos ver o próximo episódio o mais rapidamente possível. Os personagens têm grande desnsidade psicológica, os diálogos são bons e o guarda roupa uma obra prima! Mais uma vez a HBo está de parabéns .

quinta-feira, outubro 27, 2011

Kill Bill-The Ending

Uma das minhas cenas de cinema favoritasssss......


terça-feira, outubro 25, 2011

Pablo Picasso-O Gourmet


No dia 25 de Outubro de 1881 nasceu  em Málaga Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz y Picasso, mais conhecido por  Pablo Picasso.Presto aqui a minha homenagem a este grande pintor   abordando aqui uma tela pouco conhecida  mas muito interessante  deste grande pintor.Esta tela pertence ao período azul, quando o artista vivia em Paris, em condições económicas e pessoais bastante adversas e precárias. Foi executada durante o verão e o Outono de 1901, paralelamente às primeiras personagens isoladas e miseráveis que começaram a povoar a sua obra. A menina está a comer afincadamente da sua taça de sopa, que inclina para obter a maior quantidade de liquido possível. Junto ao prato, apenas um pedaço de pão e um copo.A alusão à pobreza é evidente e reflecte o estado de ânimo de Picasso, assim como as suas condições materiais.O título irónico, reflecte este sentimento. A temática é típica do período azul, apesar de a cor ainda não o ser, uma vez que é demasiado viva e luminosa para se inserir no estilo que dominou a sua obra entre os anos de 1901/1904.Nesta obra, Picasso enfatiza a silhueta através de uma linha negra e grossa.Deste modo, a forma, simplifica-se e o artista expõe a essência do objecto, retirando a cena do mundo quotidiano e colocando-a num plano simbólico.A pincelada rápida e grossa é típica da primeira etapa artística de Picasso, quando chegou a Paris, em 1900. Nessa altura, absorveria todas as influências dos pintores modernos, como Toulouse-Lautrec, que mostra a sua influência nesta parte da tela.Pablo Picaso (1881-1973) realizou esta tela em óleo sobre tela por volta de 1901 e a mesma pode ser apreciada no National Gallery of Art em Washington.

segunda-feira, outubro 24, 2011

25 Actores Antes de serem Famosos

Um divertido apanhado com 25 celebridades, antes de o serem - incluindo Angelina Jolie, Jim Carrey, Keanu Reeves, Jack Nicholson, Natalie Portman, Jack Black, Joseph-Gordon Levitt, Harrison Ford, entre outros.

sexta-feira, outubro 21, 2011

David Teniers/O Velho-Fumadores

Esta obra de David Teniers-the elder, que aqui aparece, denominada de "Fumadores" é tanto mais pertinente e extremamente risível, quanto sabemos o quanto os fumadores 'sofrem' hoje em dia para conseguir concretizar o seu vício. Não sou fumadora nem nunca fui, mas sou uma 'mente aberta' e respeito aqueles que o são. Evidentemente que a lei beneficiou-me imenso, uma vez que em espaços privados  (não tarda nada será também nos públicos!Lol) não tenho que levar com o cheiro de tabaco inalado pelos que dele tiram algum prazer.Assim, a obra do artista flamengo David Teniers, acaba por ter uma actualidade (penso que todos os que fumam comugam com ela) e acaba também por ser uma amostra do gosto deste artista pelas cenas dos costumes. No que nos ocupa, vemos em primeiro plano três homens sentados em tamboretes de madeira, enquanto passam o seu rico tempinho a fumar. Um deles acende um cachimbo, o outro simplesmente aparece a fumar e o terceiro seca o tabaco com a ajuda de um fósforo aceso.Em segundo plano, outros homens dedicam-se à mesma tarefa de fumar, enquanto pela porta do bar entra um homem que segura um jarro de barro.Torna-se interessante a comparação inevitável que se faz desta estranha obra, com as cenas de interior do artista holandês Jan Steen, que já abordei aqui em post anterior.Isso é verificável, tanto no tratamento concedido às personagens, como pela luz alaranjada que banha a composição.De facto o jarrão de barro que vemos em primeiro plano possui brilhos incríveis, visíveis sobretudo na curvatura deste. Por outro lado, esta obra, acaba por ser  uma amostra da apetência do artista para representar este tipo de objectos do quotidiano. Se repararmos bem no fundo da composição, vemos uma prateleira pendurada da parede que quase passa despercebida por ser de uma cor escura semelhante à da parede.Nela estão colocados objectos rústicos do quotidiano.Assim,D.Teniers,  apresenta-nos toda uma galeria muito ampla de objectos, desde jarros, garrafas de vidro,  decantadores de vinho e recipientes vários.Vemos ainda que a atmosfera que se respira nesta obra é um pouco carregada, devido ao fumo que se estende por toda a sala e, por outro lado, é quente pelos efeitos de luz sobre as personagens que nela figuram e pelo mobiliário carregado de utensílios domésticos. Esta deliciosa obra   de David Teniers denominada de "Fumadores" é óleo sobre tela, e pode ser vista no Museu de Arte Antiga em Lisboa.

quarta-feira, outubro 19, 2011

Dono procura-se

Um homem, uma missão: ajudar alguém que não conhece…muito ternurento...

terça-feira, outubro 18, 2011

A Ansiedade

Agora há dias em que estou extremamente tensa, agitada...nada me consegue relaxar, acalmar, durmo mal e por isso acordo cansada ,esgotada e mal humorada. Abro o frigorífico, mas nada me satisfaz...então como uma pequena taça de  gelatina e começo a trincar uma maça, quedando-me quieta, olhando pela janela da cozinha. A minha cadelita fica sentada ao meu lado esperando, olhando-me ansiosamente e aguardando pacientemente que eu me lembre dela e que lhe dê um pedaço da minha maça.Tento concentrar-me no trabalho, corrijo alguns, e depois distraidamente ponho música a tocar na Internet. Depois bruscamente, baixo o som porque ela tira-me o sossego e quero ficar sossegada. Não gosto de nada e parece-me que nada gosta de mim. Subitamente coloco o Pc em stand-by e ligo a televisão, faço zapping, há grandes quantidades de programas a passar e nada que me satisfaça.Depois sinto-me desconsolada e apodera-se de mim a sensação de perda de tempo.Os meus pensamentos continuam presos ao problema que me aflige e depois apercebo-me que já nem sei que problema é esse, porque mesmo não havendo problema algum dou conta que continuo preocupada.Então sento-me e tento concentrar-me novamente no trabalho. Com isso passaram-se horas de um tempo precioso que não voltará jamais!

domingo, outubro 16, 2011

Pietro Longhi-Loja do Boticário

Loja do Boticário





















Com esta muito deliciosa cena de costumes, Pietro Longhi, nascido em Veneza, apresenta de uma forma satírica a prática da medicina. O humor irónico do artista ao tratar os temas, pode apreciar-se nas próprias personagens da composição, que fazem lembrar uma peça de teatro posta em cena pelo grande Molière.O realismo de P.Longhi pode apreciar-se na caracterização das personagens, assim como nos gestos expressivos que ambos realizam, senão vejamos: o especialista,  (o toque burlesco está acentuado pelo extravagante gorro do boticário), examina os dentes de uma jovem veneziana que, algo assustada, realiza um gesto de protecção com os seus braços inclinando o corpo para trás. Atrás dela, dois homens, um deles sacerdote, parecem aguardar a sua vez para serem atendidos pelo boticário. À direita, um homem, com uma longa cabeleira grisalha, escreve as suas receitas enquanto uma  última personagem alimenta o fogo de um fogão para aquecer as poções. Atrás do ancião que escreve com dedicação as receitas, podemos observar uma colecção de frascos de farmácia que normalmente continham as plantas medicinais com propriedades terapêuticas, muito habituais em qualquer botica da época. Por sua vez, a luz recai sobre as personagens principais deixando as secundárias na sombra. O carácter narrativo da cena tratado com excelente realismo descritivo, transporta o espectador para o ambiente quotidiano da Veneza do século XVII.Os aspectos caricaturais na representação dos traços psicológicos das personagens devem ser considerados como algo de relevante nesta muito colorida e divertida composição. Esta obra de Pietro Longhi, é óleo sobre tela e pode ser apreciada na Galeria da Academia na bonita e romântica cidade de Veneza.

Aguarelas de Steve Hanks

Um pouco de exercício só pode fazer bem !!!!!

quarta-feira, outubro 12, 2011

Pierra-Auguste Renoir-O Baile do Moulin de la Galette



A obra que aqui aparece é uma das mais célebres obras de Pierre-Auguste Renoir, realizada por volta de 1876, e como tal uma das peças mais emblemáticas da colecção do Impressionismo do Museu D'Orsay em Paris.O quadro que tinha sido exposto na terceira exposição dos Impressionistas, em 1877, mostra-nos, de uma forma alegre e muito colorida, a multidão que se dirigia, em busca de diversão, ao baile dos domingos do conhecido Moulin de la Galette. Tratava-se de um moinho convertido em café, no então subúrbio de Montmartre, hoje em dia um bairro emblemático da cidade de Paris. Há que salientar a despreocupação e o desprendimento com que a multidão desfruta do ambiente jovial proporcionado pelo baile ao ar livre, como um momento de evasão dos problemas do dia a dia. A jovem que surge sentada em primeiro plano   tem uma expressão risonha e adopta uma postura descontraída e de uma grande naturalidade.O seu bonito vestido todo às riscas revela-se exagerado e atrevido, conferindo uma nota de modernidade à moda da época representada na tela. Um outro par dança e parece gozar o momento proporcionado pelo baile. A expressão enamorada dos seus rostos e o seu gesto carinhoso constituem, por entre a multidão, um piscar de olhos atrevido ao espectador da cena.A pincelada dinâmica e difusa, utilizada pelo artista esbate os rostos dos personagens, muitas das quais eram amigos do pintor.O movimento transmitido pelos gestos das personagens é potenciado pelos efeitos de luz e de cor. A luz é tratada com grande mestria ao incidir sobre as figuras da cena e, inclusive, sobre o terreno onde tem lugar o baile, em forma de brilhos refulgentes, após ter sido filtrado por entre as folhas das árvores, que, ainda que não visíveis, poderão por nós ser imaginadas.Um obra espectacular, uma obra do apogeu de Pierre Auguste Renoir, que juntamente com "O Baile do Campo",e a  obra "Pequeno Almoço dos Barqueiros", fazem deste pintor um dos grandes artista do século XIX.Este "Baile do Moulin de la Galette", é óleo sobre tela e pode ser apreciado no Museu D'Orsay.

segunda-feira, outubro 10, 2011

Um Belo Voo

Ponham o ecran em full screen e liguem o som!Depois da partida dos Alpes dirigir-se-ão para Oeste indo sobrevoar a baixa altitude o Vale do Loire passando mesmo por cima do castelo de Chenonceau (sobre o Cher) e logo de seguida à vertical dos telhados do castelo de Chambord. Caminhando para a Bretanha, a Norte, vão ver o Mont-Saint-Michel e mais adiante, já na costa atlântica francesa de Albâtre, brancas formações rochosas na região das falésias de Étretat, com o arco da falésia de Aval, e, pouco depois, sempre em direcção a Leste, praias do desembarque na Normandia e o memorial do cemitério americano da II GG em Colleville-sur-Mer.Finalmente, sem se aperceberem estarão muito próximo do litoral Sul mediterrânico e dos Pirenéus orientais sobrevoando no país dos Cataros, não longe de Carcassonne, as ruínas do castelo-fortaleza de Peyrepertuse. Quase a terminar o passeio, próximo de Nimes, serão surpreendidos pelo magnífico aqueduto romano conhecido como ponte sobre o rio Gard. Gard que é um dos afluentes do Ródano. É que importa não esquecer que, o lago de Genebra ou Léman, é nem mais nem menos que um lago de passagem do Rodáno, o qual antes de atingir o mar banha duas cidades que muito agradam : Lyon e Avignon.Muito bonito e relaxante.
http://www.tubewatcher.tv/182