segunda-feira, Novembro 28, 2011

O Fado - José Malhoa


O Fado
Agora que o Fado está na ordem do dia, devido ao facto de ter passado a ser considerado Património Imaterial da Humanidade, não posso deixar de aqui abordar um belíssimo quadro  de José Malhoa denominado "O Fado".Esta obra enunciada como uma obra prima de Malhoa e reproduzido na Ilustração Portuguesa em 15-04 de 1912, teve uma primeira apresentação pública no Salão da Sociedade  de Artistas Franceses em 1912, e em Lisboa só em 1917 na 14º Exposição da Sociedade Nacional de Belas Artes.Malhoa passa do desregramento coletivo consentido na sociedade rural figurada na sua obra "Os Bêbados" (1907) para o individualismo e transgressão moral e urbana do O Fado (1910).José Malhoa sempre procurou modelos reais, só que agora a cena dá-se na boémia popular da Mouraria, na altura bairro mal afamado de Lisboa, onde Malhoa encontrou Amâncio, arruaceiro e tocador de guitarra e a sua amante, a Adelaide da Facada.Pela luz incidente no colo e a mancha vermelha da saia, é esta mulher o núcleo da composição, alongando-se sobre a mesa entre o cigarro esquecido numa mão e a cabeça apoiada na outra, o olhar e a tenção fixando-se no homem que canta e toca guitarra. A lassidão da pose íntima e o desarranjo da roupa da mulher completam-se no aprumo janota do amante aplicado na execução do fado.Todo o cenário envolvente vai acrescentando notícias desta existência marginal, a indiferença pelo confronto burguês, evidente na diversidade do mobiliário, na cortina frente à porta, a crença em Deus nas estampas religiosas fixadas na parede.Sobre a mesa, a garrafa de vinho ingrediente fundamental desta boémia onde se exercitam os sentidos e se cultivam prazeres e ócios.Esta cena de interior, brilha pela sentimentalidade da da situação amorosa, ao mesmo tempo íntima e também marginal.O individualismo das personagens justifica-se e ganha sentido maior e colectivo na canção castiça, a lisboeta e nacional que é o FADO.Esta magnífica obra é um óleo sobre tela, (1.51x1.86) e pode ser apreciada no Museu Malhoa nas Caldas da Rainha.

Sem comentários: