quarta-feira, junho 27, 2012

Prometheus

Fui ver este filme de Ridley Scott, uma vez que sou fã da saga Alien.Uma desilusão completa! Saí do filme com a sensação de dinheiro deitado pela janela fora. Erros de casting terríveis. A Noomi Rapace, uma desgraça, (quando a vemos actuar temos é saudades da grande  Simone Weaver!), o Miguel Fassebender no papel do androide David e Charlize Theron, como comandante da nave Prometheus fazem o que podem, e Idris Alba tem o papel mais conseguido, visto que não está ali a armar-se em bom.
Guy Pearce...bem é melhor nem falar nesse de tão ridículo o papel que o actor tem!Há outros actores...mas nem nós sabemos para que é que ali estão!Deve ser para constar na folha de pagamento!
 Do resto, tudo muito estranho, tudo muito embrulhado em filosofias de pacotilha, tudo muito a armar ao esotérico...e depois vamos a ver e dali não sai nada.Uma laranja seca! Aquele fim é risível, aquelas criaturas alienígenas completamente  perdidas no filme, o início incompreensível...uma miséria!
 O pior é que já li que o realizador vai fazer a continuação deste filme...cruz credo! Se é para fazer outra coisa idêntica o melhor é mesmo colocar o dinheiro na minha conta bancária que eu agradeço do fundo do  coração. E ainda disse que só filmava a partir de agora em 3D! Que volte o R.Scott do Gladiador, porque este...deve estar a atravessar uma crise de meia idade!
Pior ainda.Eu fui ver em 2D porque detesto o 3D, e ainda bem, porque aquilo é tão enfadono (um filme longo como o diabo) que se fosse assistir em 3D saia de lá meia catatónica.
 Por mim...um filme a evitar...Melhor mesmo é ir ver o"O Cavalo de Turim" do realizador  Béla Tarr.Não tem nada a ver com Prometheus, mas essse sim é que é um filme Filosófico!

1 comentário:

Jose Torres disse...

A continuação do mau... poderá ser o início do bom (quem sabe?).
Sou pouco cinéfilo, (o tempo de ver duas e três sessões por dia já findou - tinha bilhetes gratuitos, para o denominado "galinheiro"), mas esta "arte" dum imaginário que não consigo imaginar, não me seduz e imagino-me placidamente a dormir, no cinema.
Gosto de coisas realistas, mesmo que a realidade seja um pouco irreal, mas totalmente... irreal, não!.
Há gostos e gostos e daí a multitude de temas e filmes, para todos os gostos.
(as redundâncias são propositadas).