quinta-feira, março 31, 2011

Miguel Ângelo-A Criação de Adão

Uma descrição precisa da cena mais famosa da Capela Sixtina é-nos fornecida pelo biógrafo Giogio Vasari:"Deus Nosso Senhor é sustentado por um grupo de anjinhos nus que parecem proteger não só uma figura, mas o peso de todo o mundo: a pintura ganha esta aparência em virtude da venerabilidade majestática de Deus e através do movimento que faz, ao enlaçar alguns anjos praticamente como se se deixasse levar por eles; a mão direita estende-a, no entanto, a Adão que representado com tal beleza, postura e contorno, nos faz crer que foi novamente criado pelo seu supremo e primeiro Criador e não por pincéis e desenho de um homem semelhante a si". Como podemos ver Vasari descreve aqui de forma explícita, a situação dos anjos que rodeiam Deus:por outro lado, parecem ser sobretudo criaturas celestes que se encontram por baixo de Deus, e que com todas as forças levam o seu corpo robusto pelos ares.Por outro lado, os anjos que se encontram na parte superior debaixo do manto demonstram de forma clara quão levemente pairam no ar ao lado de Deus.O pesado manto rosa claro do Criador empola-se no ar e toma a forma de concha.Deste modo Deus oferece aos seus "companheiros de viagem" protecção contra os ventos.Os anjos cheios de confiança e ternura, reúnem-se à volta de Deus como se de um pai se tratasse.A rapariga que se encontra entre eles não é porém, mencionada na descrição de Vasari.Deus segura-a com o seu braço esquerdo, enquanto a bela rapariga olha com curiosidade para Adão que está a despertar.Esta mulher é interpretada como sendo Eva que, apesar de não ter sido criada, já existe no espírito de Deus e que por isso, já ganhou forma.Adão, a quem Vasari atribui uma beleza sobrenatural, encontra-se deitado semi-erguido sobre um modesto pedaço de terra e dirige, filialmente o olhar a Deus.Nada na dinâmica de Deus se encontra nos gestos de Adão.É com esforço que Adão mantém a mão levantada e ergue ligeiramente o dedo.Toda a figura de Deus, pelo contrário, se mostra em concentrada tensão, até ao dedo indicador esticado. Deste modo, transmite energia a Adão, dando-lhe vida.O olhar firme e seguro de Deus, pousa sobre a sua criatura.Este esforço torna-se, porém, evidente: a testa apresenta profundas rugas acima da sobrancelha franzida.A técnica de pintura delicada e minuciosa de Miguel Ângelo é visível em pequenos pormenores do rosto do Criador, como é o caso das rugas dos olhos.O cabelo grisalho ao vento é também reproduzido pelo artista com as mais minuciosas pinceladas, como se a pintura do tecto pudesse ver-se de perto.Ao produzir este tema, Miguel Ângelo acabou por criar algo de totalmente revolucionário e inovador, posto que ao contrário do que era até ai habitual( Deus era usualmente representado de pé sobre a terra, enquanto abençoava Adão) o artista preferiu criar Deus pairando acima da terra,e com o seu dedo indicador dá vida à sua criatura.Esta invenção de Miguel Ângelo, que torna concreto um acto abstracto que é o da doação da alma a um ser humano, acabou por se tornar uma das representações mais conhecidas do tema da criação.Esta obra denominada "A Criação de Adão", foi realizada por Miguel Ângelo em 1510, é um Fresco, tem 2.80x5.70 e pode ser apreciada na Capela Sixtina no Palácio do Vaticano em Roma.

A Evolução do Homem

Emprego para Desastrados

Por muito desajeitado que seja, há um trabalho que qualquer um pode fazer! Divertido anúncio “Clumsy” da campanha “Mantenha a Praia Limpa” da Surfrider Foundation.Muito Giro!

quarta-feira, março 30, 2011

Constantin Brancusi-O Beijo

Estreitamente enlaçados, dois amantes beijam-se apaixonadamente.A força natural desta obra advém do volume da pedra, da qual as formas emergem apenas em esboço, como se nascidas de um sono infinito. Constantin Brancusi (cuja obra já abordei aqui num post anterior)reduziu as suas esculturas ao mais básico, ao mais abstracto, emprestando-lhes ao mesmo tempo uma grande vitalidade rudimentar. Este grande artista teve uma influência extraordinária na escultura, e arte abstracta em geral, no século XX.A grandiosidade simples das suas obras provoca uma sensação de liberdade e de força.Em 1904, deixou a Roménia, sua terra natal(Brancusi nasceu em 1876 na cidade de Hobitza e morreu em 1956 em Paris).Consta que Brancusi foi para Paris deslocando-se a pé!!!!!, feito que lhe granjeou uma admiração generalizada no mundo artístico e não só.A sua fama foi mais tarde alimentada pela acção judicial que lançou contra os serviços alfandegários dos E.U.A. uma vez que esses serviços pretendiam cobrar impostos sobre a importação de uma escultura de bronze que consideraram apenas matéria prima e não uma obra de arte.Esta sua obra em pedra, denominada de "O Beijo", foi realizada em 1907 e tem 28cm de altura.Pode ser apreciada no Museu de Arte na cidade romena de Craiova.

Sucker Punch


Sucker Punch - Mundo Surreal» (remake do filme Dawn of the Dead), é o novo filme de Zack Snyder, realizador de «300» e «Watchmen - Os Guardiões», que junta no ecrã uma equipa de actrizes em cenas de pancadaria, espadalhada e tutti quanti em mais um dos seus universos extravagantes..Babydoll (Emily Browning) foi internada em um sanatório pelo padrasto inescrupuloso, que encomenda uma cirurgia para destruir o seu cérebro, uma vez que a considera uma louca. Mas a jovem descobre que seu refúgio pode estar dentro de sua mente e só assim ela poderá se libertar para sempre. Agora, vivendo esse mundo paralelo, ela terá de enfrentar dragões, samurais, robôs e nazistas sobrenaturais, que a farão viver uma perigosa e fantástica aventura na companhia das colegas de internação Blondie (Vanessa Hudgens), Rocket (Jena Malone), Amber (Jamie Chung) e Sweetpea (Abbie Cornish).A comandar esta tropa feminina temos a professora de dança Madame Gorski (Carla Cugino) e o Wise Man (Scott Glen).Juntaos terão que fugir das garras de Blue (Oscar Isaac)e de Higt Roller (Jon Hamm).Lideradas por Babydoll iniciam então uma luta contra tudo e todos, para alcançar a liberdade.

terça-feira, março 29, 2011

O Ginásio


Coloco umas calças de ganga uma t.shirt um casaquinho, meto uns ténis e fato de treino no saco, uma garrafa de água e lá vou eu para o ginásio.O local é só para mulheres. Há lá de tudo: mulheres gordas, magras, musculadas, magras que querem ganhar músculo, gordas que querem ficar magras e ganhar músculo, mulheres que nem são gordas nem são magras e querem ficar em forma, enfim...uma panóplia de seres que desde que entram até que saem esforçam-se ao máximo para ficarem bem com elas e em paz com o corpo.Há música de fundo. Começo na passadeira, depois de fazer um aquecimento (por causa das entorses, ou coisa assim...) .Acelero a coisa e depois para acompanhar o rolamento, corro desalmadamente, depois abrando, depois corro e depois saio, porque há quem queira entrar e também correr,saltar abrandar...Bebo um pouco de água e vou para as máquinas. Começo pela bicicleta, o raio da máquina está super pesada, andaram aqui a colocar pesos de modo que cada vez que empurro o pedal para baixo ganho mais um músculo na barriga das pernas e um bícepe nos braços (ah..tonifico os braços é assim que se diz) e fico ainda mais cansada.Seguem-se outras máquinas cada uma mais "pesada" que a anterior! Estou estafada! De repente a monitora diz para irmos todas para o meio porque vamos fazer 'Bolas'. Essas Bolas são objectos gigantescos, e os meus braços não dão para a abraçar na totalidade!Cada uma agarra um desses horrores e balançamos para cima e para baixo, e assim vamos fazendo seguindo a voz da monitora e de uns sucessivos "go"que o computador transmite e que nos permitem respirar de alívio, porque aí podemos descançar!Depois sentamo-nos todas no chão e colocamos as pernas em cima dessas coisas gigantescas...rolamos para cima e para baixo e fazemos mais uma série de exercício que nos deixam meias mortas. De repente a monitora grita... "máquinas" e todas nós corremos para uma máquina e lá nos esforçamos para completar mais uma volta. Como já aqueci, fiz passadeira, máquinas, bolas...saio do circuito. Faço exercícios de relaxamento, (por causa das entorses e porque é necessário abrandar lentamente o ritmo cardíaco!) agarro na minha garrafa de água e dirijo-me lentamente para os balneários. Tomo banho, visto-me e saio para a rua. Ali perto há uma pastelaria, apetecia-me um croquete e um pastel de nata...ainda hesito em entrar, fico parada entre a porta do ginásio e o raio da pastelaria! Que fazer? Decido-me a ir para casa, com o croquete e o pastel de nata no pensamento, resolvi comportar-me bem, sacrifiquei o croquetinho e o pastelinho e...bebo água.Com grande esforço, força de vontade e dedicação ao corpo,escolho ser uma mulher do século XXI!

segunda-feira, março 28, 2011

Todas as Crianças

Uma criança só atinge uma maturidade minimamente aceitável se a relação vivida com os pais e principalmente com a cuidadora (seja ela mãe ou não) for feita de modo a que se tenha constituído um equilíbrio psicoemocional saudável de modo a que futuramente essa criança tenha uma boa inserção social.De facto, é hoje comumente aceita a ideia de que as experiências vividas no início da vida desempenham um papel essencial no desenvolvimento da mente de um qualquer ser humano, delas dependendo a sua estruturação emocional e o equilíbrio do seu relacionamento com os outros.A relação mãe filho é tanto mais essencial na medida em que a criança só começa a construir o conceito de si própria na relação que estabelece com a mãe, o primeiro agente de intercâmbio com o meio.Essa relação vai-se tornar determinante na estruturação da identidade da criança na medida em que vai conferir um tom gratificante e saudável ou penoso e traumatizante nos relacionamentos com o mundo físico e social que futuramente ela vier a estabelecer.Essa tonalidade agradável é verificável no prazer que a mãe proporcionar, na atenção que dispensar na boa receptividade e disposição com que vai ao encontro das suas necessidades.Se os chamamentos forem prontamente atendidos, a criança experimentará sensações agradáveis, sentir-se-á amada, desejada, o que será excelente no começo da sua vida.Se isso não for realizado a criança tenderá a transviar-se, criando traumas que muitas vezes perduraram para o resto da vida.Por isso os sentimentos vividos pela criança impulsionam o desenvolvimento de capacidades como segurança, iniciativa própria, auto confiança, independência e responsabilidade, conceitos essenciais para o seu processo de desenvolvimento social.Como podemos então verificar o desenvolvimento e a sua subsequente socialização acabam por ser processos simultâneos e interdependentes.O prazer que uma criança obtém no contacto com a mãe e o seu núcleo familiar, vai ser transmitida aos amigos que com ela convivem e posteriormente a toda a sociedade.O sentimento de pertença e de que é amada pelo seu grupo familiar vão dar alento a essa criança no sentido de fazer com que sinta parte integrante da vasta comunidade humana.

A Obra de Ron Mueck

Hitler contra Paulo Futre

sábado, março 26, 2011

Darko



Já 'rola' nas rádios o novo single de Zé Manel, 'Define Joy' ex-vocalista dos Fingertips.Este seu projecto a solo apresenta-nos um Zé Manuel transfigurado fisicamente, mas a sua voz continua inconfundível. Este novo trabalho de Zé Manel chamar-se-a 'Darko' e o seu lançamento está marcado Maio. Este single ,“Define Joy”, que como disse anteriormente, já se ouve nas rádios nacionais vem comprovar o regresso tão aguardado de uma das vozes mais populares do país. O disco é composto por Zé Manel na voz, Jorge Oliveira na bateria, Jorge Loura nas guitarras, Alexandre Leão no baixo e Miguel Amorim nas teclas.
http://www.youtube.com/watch?v=eji-z4hjswE

Planetas à Distancia da Lua

Como veríamos os planetas do sistema solar, se estivessem em órbita à distancia da Lua? Impressionante!

quinta-feira, março 24, 2011

Miguel Ângelo-A Pietá

A encomenda da Pietá foi feita pelo cardeal francês Jean Bilhères de Lagraulas em 1498, provavelmente para a sua capela funerária em São Pedro do Vaticano.Jacopo Galli, patrono de Miguel Ângelo, tinha aceite a encomenda e assegurara ao cardeal que o artista haveria de produzir, com a Pietá, o mais belo mármore jamais visto em Roma. Ao contrário do que se passava a norte do Alpes, não era vulgar encontrar-se em Itália, pelo menos na escultura, a representação de Maria com Jesus morto nos seus braços. Talvez por essa razão o contrato traga minuciosamente explicitado qual devesse ser o aspecto da obra. Nesta deveria estar representada a "Virgem Maria envolvida no manto e com Cristo morto nos braços".A idade juvenil de Maria é, porém, invulgar uma vez que até aí Nossa senhora era, na maioria dos casos,representada como uma mulher mais velha.A esse respeito, Miguel Ângelo quis significar que Nossa Senhora conservava este aspecto jovem devido á sua virgindade e pureza. Na Pietá, está representado o momento em que após a descida da cruz, o Filho morto foi colocado no regaço da mãe. A mão direita de Maria envolve com força o tronco de Cristo, enquanto a mão esquerda O apresenta, morto, ao espectador e o convida à veneração. Nesta cena a Virgem mantém a cabeça inclinada.Desta forma o contacto directo do crente não se dá com Ela.Miguel Ângelo resolveu com mestria uma dificuldade própria deste grupo de figuras, que consiste na junção, num grupo fechado, da Virgem sentada e do seu filho, deitado na horizontal, sobre o colo da Mãe.Assim, o corpo de Cristo está quase por completo inserido na linha de contorno do corpo de Maria. E deste modo, se alcança uma composição perfeitamente elegante, tal como também se sublinha a forte ligação entre Mãe e Filho.A aura que envolve esta escultura resulta, além do mais, dos contrastes visíveis:as mãos de Maria, por exemplo, seguram e simultâneamente soltam, isto é, apresentam o corpo morto. O cadáver quase nu de Cristo, de linha puras e bonitas, está deitado sobre o manto fortemente drapejado da mãe. Por sua vez, o corpo pesado de Maria,está fortemente implantado na base, enquanto o de jesus apenas toca o chão com a ponta do pé direito. O grande valor que a Pietá representou para o próprio Miguel Ângelo fica demonstrado no facto de esta ser a sua única obra assinada: o mestre cinzelou o seu nome na faixa que prende o manto de Maria. Esta escultura ocupa um lugar de destaque na Basílica de São Pedro, onde está protegida por um vidro antivandalismo.

Anti-Stress

Um exercício anti-stress recomendado pelos médicos. Clicar com o rato sobre o boneco; arraste-o, faça-o dar cambalhotas... Sustenha a sua queda, ajude-o a cair... o que quiser. O importante é conseguir aliviar o seu stress! Eu experimentei. E só vê-lo a cair já é relaxante.
http://sorisomail.com/email/456/jose-socrates--um-primeiro-ministro-muito-flexivel.html

quarta-feira, março 23, 2011

Sharon Corr - Everybody's Got To Learn Sometime

Elizabeth Taylor-1932-2011



Imortalizada em filmes como «Cleópatra» e «Gata em Telhado de Zinco Quente», Elizabeth Taylor, uma das mais lendárias actrizes da história do cinema, faleceu hoje de madrugada, de insuficiência cardíaca.
«A minha mãe era uma mulher extraordinária que viveu a vida ao máximo, com grande paixão, humor e amor», disse Michael Wilding, filho de Elizabeth Taylor, no comunicado em que anunciou o falecimento da actriz, hoje de madrugada no Cedars-Sinai Medical Center, em Los Angeles. A actriz padecia de insuficiência cardíaca desde 2004 e morreu aos 79 anos, tendo ao seu lado os quatro filhos, Michael Wilding, Christopher Wilding, Liza Todd e Maria Burton. Elizabeth Taylor foi uma das mais lendárias actrizes da história do cinema, tão célebre pela sua turbulenta vida pessoal (que incluiu oito casamentos) como pela sua imensa beleza e pelo seu enorme talento de actriz, que lhe valeu o Óscar pelos filmes «O Número do Amor» e «Quem Tem Medo de Virginia Woolf?». A actriz nasceu em 1932 em Londres, filha de americanos residentes em Inglaterra, e logo aos três anos começou a ter aulas de ballet. Em 1939, a família regressou aos EUA e logo aos nove anos a actriz participou no seu primeiro filme, «There's One Born Every Minute», em 1942. O primeiro filme em que deu verdadeiramente nas vistas, «Lassie Regressa a Casa», surgiu logo em 1943, ao lado de Roddy McDowall, e em 1944, aos 12 anos, tornou-se uma das maiores estrelas juvenis de Hollywood com o enorme sucesso que foi «A Nobreza Corre nas Veias», um drama sobre uma menina que treina um cavalo de corrida, que protagonizava ao lado de Mickey Rooney. Os papéis adolescentes de sucesso prosseguiram em filmes como «A Coragem de Lassie» (1946) ou «Mulherzinhas» (1949), com a actriz a receber os maiores elogios por parte da industria e a receber a alcunha de «One-Shot-Liz», pela sua capacidade de fazer as cenas saírem bem ao primeiro «take». Apesar de ter apenas 16 anos, o seu primeiro papel adulto surgiu em 1949, ao interpretar uma mulher de 21 anos que casa sem saber com um agente da KGB, no thriller britânico «Conspirator». O filme foi um «flop» mas Taylor teve um sucesso logo a seguir em «O Pai da Noiva», ao 1950, seguido no ano seguinte pela sequela «O Pai é Avô». A imagem de bomba sexual que se lhe colou à pele surgiu em 1951 graças ao papel da bela socialite de «Um Lugar ao Sol», de George Stevens, ao lado de Montgomery Clift, que foi um estrondoso sucesso de bilheteira e confirmou aos olhos de todos as suas enormes capacidades dramáticas. Nos anos seguintes, sucederam-se papéis românticos, que Taylor ia fazendo um pouco a contragosto, em filmes como «Ivanhoe» (1952), «Beau Brummel»(1954) e «A Ultima Vez que Vi Paris» (1954). O sucesso de bilheteira e o seu profissionalismo indesmentível levaram a que Taylor fosse começando a ter um controlo maior sobre os filmes que fazia. Os frutos começaram a surgir logo em 1956, com papéis mais exigentes e muitíssimo elogiados em filmes como «O Gigante», ao lado de Rock Hudson e James Dean, «A Árvore da Vida» (1957), de Edward Dmytryk, «Gata em Telhado de Zinco Quente»(1958), de Richard Brooks, e «Bruscamente no Verão Passado»(1959), de Joseph L. Mankiewicz. Os três últimos valeram-lhe, em anos sucessivos, a nomeação ao Óscar de Melhor Actriz, tornando-o uma das intérpretes mais prestigiadas da época. Em 1961, conquistou finalmente o primeiro Óscar de Melhor Actriz pelo papel de prostituta em «O Número do Amor». Nesse filme contracenou com o seu quarto marido, Eddie Fisher, uma relação que lhe valeu a imagem de predadora de homens que para sempre se lhe colou, já que Fisher era casado com Debbie Reynolds quando a relação de ambos começou. Por essa altura, já tivera dois casamentos falhados (com Conrad «Nicky» Hilton e Michael Wilding) e enviuvara do produtor Michael Todd. A primeira metade dos anos 60 é marcada pela produção aparentemente interminável do gigantesco «Cleópatra», pelo qual recebeu um milhão de dólares, o valor até então mais elevado alguma vez pago a um actor. Durante a rodagem, envolveu-se com o actor Richard Burton, num romance que encheu páginas de jornais de todo o planeta, principalmente pelo facto de ambos estarem ainda casados. Em 1966, a sua carreira atingiu o pico com «Quem Tem Medo de Virginia Woolf?», pelo qual recebeu o segundo Óscar de Melhor Actriz. Foi o segundo dos oito filmes que faria com Burton até ao fim da década, incluindo «Hotel Internacional» (1963), «Adeus Ilusões» (1965) e «A Fera Amansada» (1967). Porém, apesar de filmes mais emblemáticos, como «Reflexos num olho Dourado» (1967), de John Huston, no final da década, o poder Elizabeth Taylor nas bilheteiras estava a desvanecer-se e os «flops» tornaram-se cada vez mais frequentes. Apesar de ter trabalhado bastante na década de 70, em fitas como «X,Y e Z» ou «A Noite dos Mil Olhos» poucos foram os filmes que fez então que ficaram na memória o que resultou que, a partir dos anos 80, as suas participações no cinema e na televisão se tornassem mais espaçadas. A década ainda começou bem, com o «thriller» «Espelho Quebrado» (1980), seguindo depois para alguns papéis importantes em telefilmes como «Malice in Wonderland» e «Entre Amigas». Mas rapidamente Elizabeth Taylor passou a dedicar a maioria do seu tempo a causas de beneficência, surgindo esporadicamente em papéis de luxo em séries televisivas de prestígio como «Norte e Sul» ou «General Hospital». A última vez que surgiu no cinema foi como sogra de Fred Flintstone em «Os Flintstones» (1994). A partir de finais dos anos 80, Taylor foi muito activa no combate à SIDA, e as suas contribuições para causas de caridade valeram-lhe um Óscar Especial em 1992.
In Sapo

Bob Sinclair feat Ben Onono - Rainbow Of Love

Albrecht Durer-Auto Retrato com Luvas

O artifício técnico de colocar o braço do modelo sobre um parapeito era uma forma muito comum de criar a ilusão de proximidade entre o observador e a figura retratada.Albrecht Durer pode ter aprendido esse truque visual ao observar obras como a Mona Lisa de Leonardo da Vinci, que terá visto quando visitou a Itália. Durer pintou muitos auto retratos, um tema não muito comum na altura, e que pode ser interpretado como uma tentativa de promoção do artista na sociedade.Se o patrono podia ser pintado num quadro, porque não um artista?A paisagem que se vê através da janela (à nossa direita) era característica da obra de artistas com Jan van Eyck e Robert Campin.Artista extrordinário e prolífico, Durer revolucionou a arte do norte da Europa ao combinar diferentes aspectos das artes holandesa e italiana. É também conhecido pela sua obra como gravador, que levaria bem longe a sua fama pela Europa do século XVI.A.Durer nasceu em 1471 em Nuremberga e morreu na mesma cidade em 1528.Esta sua obra intitulada "Auto retrato com Luvas", foi realizada por volta de 1498, é óleo sobre madeira, tem 52x41cm e pode ser apreciada no Museu do Prado em Madrid.

terça-feira, março 22, 2011

200 países, 200 anos, 4 minutos

Interessante!

Pensamentos e Borboletas


"Podemos perdoar uma criança que tem medo da escuridão. A verdadeira tragédia é quando o Homem tem medo da luz".Platão
"Onde quer que estejas, sê bom".A.Lincoln
"A prostituta não é como dizem as feministas, vítimas dos homens, mas sim a sua conquistadora. Uma fora da lei que controla os canais sexuais entre a natureza e a cultura".Camilla Paglia
"Tenho promessas a cumprir e milhas a percorrer antes de dormir...muitas milhas a percorrer antes de dormir"."-Robert Frost
"A Humanidade é uma família indivisa e indivisível. Não consigo sequer desligar-me da alma mais perversa".Ghandi
"Dizemos que o tempo cura todas as feridas. Não concordo!As feridas permanecem.Com o tempo a mente protegendo a sua sanidade cobre-as com cicatrizes e a dor diminui. Mas nunca desaparece!".Rose Kennedy
"Os defeitos e falhas da manter são como feridas no corpo. Depois de se ter feito tudo para as curar, fica sempre uma cicatriz".F. la Rochefoucauld
"Ninguém precisa tanto de férias como alguém que acabou de as ter".E. Hubbard
"Nesta vida nada é de graça a não ser a Graça Divina". Mattie Ross
"Os perversos devem ser sempre punidos".Mattie Ross
"De todos os animais o Homem é o único cruel. É também o único que infringe dor com intenso prazer".Mark Twain
"Do sofrimento emergiram os espíritos mais fortes, as personalidades mais sólidas marcadas com cicatrizes".K.Griban
"O Homem é menos ele quando fala de si. Dêem-lhe uma máscara e ele dirá a verdade".Oscar Wilde

"A base da vergonha não é um erro pessoal nosso, mas sim que essa humilhação seja vista por todos". Milan Kundera
"Embora o mundo esteja cheio de sofrimento, muitos são aqueles que o ultrapassam".Helen Keller
"Se algum mal tiver de ser feito a um Homem deve ser tão grande ao ponto da sua vingança não ser temida".N.Maquiavel
"O Amor não sente fardos. Não pensa nos seus problemas. Tenta o que está além das suas forças. Não invoca desculpas para a impossibilidade, pois ele acha que tudo é legítimo, e que tudo é possível".Thomas Kemp
"O crime massacra a inocência para obter um prémio. A inocência luta ferozmente contra as investidas do crime".Robespierre
"Se os Homens se conhecessem bem nunca idolatrariam nem odiariam".E.Hussard
"Lembremo-nos que na história houve tiranos e assassinos que durante algum tempo pareceram invencíveis .Mas, no fim todo caíram, sempre...sempre". Ghandi
"Algumas das melhores lições são aprendidas com erros passados. O erro do passado é a sabedoria do futuro". D.Turner
"Para aprender as lições mais importantes da vida tem de se vencer um medo a cada dia". R. W.Emerson
“Entre a ideia e a realidade, entre o justo e o acto, cai a sombra”.T.S.Elliot
“O rebanho segue os grandes, não pelo que vale, mas pela sua influência. Os grandes aceitam-nos por vaidade ou necessidade”.N.Bonaparte
“Sem heróis somos todos simples pessoas e não sabemos até onde podemos ir".Bernard Malamud
"É absurdo dividir as pessoas em boas ou más. As pessoas ou são encantadoras ou entediantes".Oscar Wilde
"Começamos a dar bons concelhos quando a idade nos impede de dar maus exemplos".Le Rochefoucauld
"Experiência é o nome que toda gente dá aos seus erros".Oscar Wilde
"O dinheiro tem esta extravagância contrária às leis da física; quanto menos temos mais nos pesa...."Alberto Brandão
"Os macacos tiveram uma boa desforra no dia em que Darwin demonstrou que eles eram nossos parentes".Bernard Shaw
"A meia idade chega quando fazemos seja o que for para nos sentirmos bem, menos desistir daquilo que nos faz mal".H.Prochnow
"Muita gente gostaria de ganhar dinheiro honestamente...se isso não levasse tanto tempo!".Anónimo
"O Homem costuma evitar atribui esperteza a outras pessoas a menos que seja um inimigo".A.Einstein
"Todos morremos.O objectivo não é sermos eternos. O objectivo é criar algo que o seja".Chuck Palahniuk
"Não existe refúgio para a memória e para o remorso no mundo. Os espíritos das nossas tolas façanhas assombram-nos, com ou sem arrependimento".Gilbert Parker
"O objectivo de todo o homem é alcançar a felicidade, mesmo aquele que se vai enforcar".Pascal
"As coisas nem sempre são o que parecem. As primeiras aparências enganam muitos. A inteligênca de poucos percebe o que foi cuidadosamente escondido".Phaebus-Poeta Romano
"Os anos que uma mulher subtrai da sua idade não são perdidos.Ela acrescenta-os à idade de outras mulheres".Diana de Poitiers
"A dúvida é o começo da convicção"Oscar Wilde
"Se aqueles que dizem mal de mim, soubessem o que penso deles...diriam coisas bem piores!".Sacha Guitry
"Onde amamos é o nosso lar.Lar que os nossos pés podem abandonar, mas não os nossos corações".Oliver W.Holmes
"As cicatrizes lembram-nos onde estivemos, mas não têm de ditar para onde vamos".J.M
"O que está atrás de nós e o que está à nossa frente tem pouca importância comparado ao que está dentro de nós".R.W.Emerson
"Que estranho destino é o meu que apenas me consente paixões ardentes e me faz esgotar em amores improváveis".J.Manuel Saraiva

segunda-feira, março 21, 2011

Otto Dix-Retrato da Jornalista Sylvia von Harden






Nesta estranha obra, a excêntrica jornalista alemã Sylvia von Harden é retratada com todos os apetrechos essenciais a uma mulher da sociedade da época, senão vejamos:uma cadeira muito trabalhada em tons dourados, uma mesa de café com tampo de mármore, elegantes cigarros e um cocktail com uma 'palhinha' dentro do mesmo.O clima de estranheza desta obra (quase um suspense) é criado pelas cores vibrantes e onde o vermelho escuro e o preto são dominantes.Ao mesmo tempo um elemento sexual é insinuado não só pela postura da retratada, mas também através da meia de vidro caída da perna da jornalista.A ambiguidade sexual da mesma é também um factor a ter em atenção, posto que à primeira vista não conseguimos discernir bem se é uma 'ela' ou um 'ele'.Considerada uma das melhores obras de Otto Dix este estranho retrato condensa o glamuor decadente da república alemã de Weimar.A representação grotesca e severa do tema faz desta tela um excelente exemplo da corrente que procurava impor-se denominada de 'Novo Objectivismo'.Outros trabalhos de Dix de grande nomeada são os que constituem um protesto contra os horrores da guerra, representando muitas vezes trabalhadores, pessoas estropiadas e prostitutas.Incluo também aqui um muito interessante auto retrato, em que Otto Dix se auto-retrata 'criando arte'.O artista dirige ao espectador um olhar intenso e quase que provocador, e a sua postura é de quem olha para nós querendo desafiar-nos a colocarmo-nos sob as suas vigorosas e poderosas pinceladas.Devido às suas obras que nada mais eram do que duras críticas sociais, Dix foi perseguido e impedido de trabalhar pelo regime nazi.Nascido em 1891 Otto Dix morreu em 1969.Esta sua obra denominada de "Retrato da Jornalista Sylvia von Harden", foi realizada em 1926 é óleo sobre madeira, tem 120x88cm e pode ser vista no Museu Nacional de Arte Moderna em Paris.

domingo, março 20, 2011

Criminal Minds/Mentes Criminosas


Criada por Mark Gordon e Ed Bernero, eis uma boa série policial, bem recheada de psicologia : Criminal Minds ou Mentes Criminosas. Ao longo desta fantástica série acompanhamos uma equipa de profilers (profissionais responsáveis por traçar o perfil psicológico dos criminosos) do FBI,que se depara com os mais estranhos e bizarros criminosos. Assim, ao longo de cada episódio, os protagonistas têm que, usando toda a sua perícia, perspicácia e inteligência, lutar contra o tempo numa tentativa de desvendar os casos com que se deparam e, literalmente, "salvar o dia". Ao mesmo tempo, são-nos apresentados os dramas que os protagonistas enfrentam fruto de uma profissão difícil, esgotante e perigosa Quando não existem mais provas para investigar uma sequência de crimes, o FBI rapidamente acciona a Unidade de Análise Comportamental,(UAC) em Quantico.No comando da equipa está o agente especial David Rossi (Joe Montegna), o analista comportamental mais conceituado do FBI e também autor de livros em que analisa o perfil de vários criminosos. Os especialistas da equipa de Rossi são o Dr. Spencer Reid (M.Gray Gubler), um génio incompreendido e muito inteligente, (é muito novo, contudo é médico e possui vários bacharelatos e formações em campos da psicologia, sociologia, física, etc), muito tímido e por isso com alguma inabilidade de se relacionar com as pessoas, que geralmente fogem dele pela dificuldade em seguirem o seu rápido raciocínio; o agente Aaron Hotch (Thomas Gibson), pai de família hábil ao conquistar a confiança das pessoas e descobrir seus segredos.Nesta nova temporada, Hosch está divorciado da mulher que se encontra escondida mais o filho de ambos,(programa de protecção de testemunhas), devido a ameaças de morte feitas pelo seu arqui inimigo,um psicopata chamado 'Foyet', que consegue sempre escapar, fazendo com que Hotch viva obssecado pela sua captura; o agente Derek Morgan (Shemar Moore),ex-Swat, especialista em crimes obsessivos, bom atirador e cinturão negro (tem um fraquinho pela Penelope e vice-versa); Emily Prentiss (Paget Brewster), expert em delitos sexuais e uma óptima poliglota.É também filha de um importante embaixador, pertence a uma família rica e influente, mas recusa-se sempre a falar disso.É também muito fria e analisa tudo de um ponto de vista distante e parece que nada a afecta.Pouco se sabe do seu passado.Ela entrou para este grupo de 'profilers', para substituir Elle Greenaway(Lola Glaudini) que depois de ter sido atacada em casa por um psicopata, acabou por não aguentar a pressão e ter que sair da equipa.Quem também saiu da série foi a J.J ( A.J.Cook) a loirinha calma e bonita, que devido à sua eficiência acabou transferida para outro departamento deixando grandes saudades aos fãs da série.Nos E.U.A. houve milhares de fãs da série que exigiram o seu retorno!(a ver vamos).Ela saiu ao meio da nova temporada.Era o elo de ligação da equipa aos meios de comunicação social.Era também muito calma e eficaz, pois era ela que fazia a triagem dos casos que deveriam ser analisados. Não poderia deixar de referir a sempre original...Penelope Garcia (Kirsten Vangsness),sempre vestida de uma forma muito colorida, perita em sistemas informáticos, uma verdadeira 'hacker' pois consegue entrar em tudo o que é pc,sites, telemóveis, etc…(e com uma grande veia humorística) acabando por ser o elemento que consegue cortar um pouco a tensão constantemente vivida por esta equipa de analistas. Conforme vão descobrindo as motivações e a identidade dos criminosos, cada membro da equipa leva seus dons para o caso, fechando o cerco a criminosos, psicopatas e tutti quanti.Uma série óptima que é transmitida pelo AXN.Às segundas feiras há um episódio novo da nova temporada, geralmente transmitido por volta das 21.30 e nos restantes dias da semana, às 18.30 há um episódio da temporada anterior, que se repete por outros horários ao longo da noite.Nessa temporada anterior,(que está a ser transmitida durante o dia), aparece ainda o Dr Jason Gideon (Mandy Patinkin,) que entretanto saiu (já não faz parte da nova temporada) tendo sido substituído por David Rossi (Joe Montegna), que desde a sua entrada conseguiu logo captar a nossa atenção, pois é muito calmo, tem boas intuições e transmite sempre muita tranquilidade à equipa.Esta série é muito interessante, foge até um pouco ao padrão das série policiais, uma vez que a análise comportamental que esta equipa faz, de psicopatas/sociopatas, etc, é muitas vezes baseada em análises feitas em casos reais. Para quem gosta desse tipo de séries é estar atento ao Mentes Criminosas, pois vai ver que não é tempo perdido.Quanto a mim, procuro não perder um episódio e quando não posso ver deixo a gravar

quarta-feira, março 16, 2011

Diogo Velásquez-Las Meninas


Este quadro que aqui aparece denominado de "Las Meninas", e que pode ser apreciado no Museu do Prado (Madrid), primitivamente chamado de "La Família", talvez seja a obra mais famosa deste pintor.Desde Lucas Jordán que a considerou uma "teologia da pintura", até Picasso que executou uma grande série de estudos das figuras que integram o quadro (Museu Picasso, Barcelona), a obra interessou profundamente os artistas, que vêem nela o apogeu da pintura de Diogo Velásquez, a essência do seu pensamento pictural.O pintor retrata a família real espanhola assim como o momento em que a travessa infanta Margarida entra no estúdio com o seu pequeno séquito quando os pais posam para o retrato que o pintor executa. Em "Las Meninas" a cena é aparentemente fortuita: é o momento em que a encantadora infanta margarida, com a petulância da sua condição principesca e dos 5 anos de idade, irrompe no estúdio de Velásquez no Alcázar quando este se encontrava a pintar um retrato dos régios esposos, cujas faces se reflectem no espelho colocado na parede do fundo.Acompanham a princesa algumas personagens da sua pequena corte:as duas damas de honor,Maria Augustina Sarmiento e Isabel de Velasco, em virtude das quais o quadro recebeu a sua designação, por serem as doncellas, aias, "Meninas" (nome de origem portuguesa) da infanta; uma anã, Mari-Barbola, um anão Pertusato, e um canzarrão.Em segundo plano, na penumbra distinguem-se os vultos de outros servidores do Paço, destacando-se na porta a silhueta do aposentador Nieto Velásquez, talvez parente afastado do pintor. Nessa mesma parede estão dois grandes quadros, quase às escuras, cópias de um Rubens, "Minerva e Aracne" e de "Apolo e Pã", de Jordaens, duas fábulas mitológicas de sentido idêntico, posto que nelas se afirma a superioridade da Arte sobre os meros ofícios artesanais.Toda a obra em si, foge aos cânones habituais, visto que o Velásquez retrata-se si mesmo, pintando o casal real, que podemos ver reflectidos no espelho. Assim Velásquez se se auto-retrata fora da composição como se estivesse a imaginá-la na sua mente e antes de aplicar o pincel à tela, pôs em relevo o valor simbólico de uma obra que até há pouco tempo foi considerada como um caso máximo de realismo.Conta-se que o crítico e poeta francês Theo Cautier ao entrar na sala do Prado onde tinham exposto "Las Meninas", terá exclamado:" Mas...onde está o quadro?" Com efeito,o quadro confunde-se com a realidade graças ao espaço aberto do lado do contemplador, a quem só faltaria que o espelho do fundo reflectisse as suas feições, em vez das de Filipe e Mariana.Uma obra soberba!

terça-feira, março 15, 2011

Super 8


Já começam a surgir mais alguns trailhers do filme 'Super 8', que até agora está envolto em grandes mistérios.Já todo o mundo cinematográfico sabe que a sinopse do filme ainda é um grande e misterioso segredo.Os trilhers disponíveis mostram uma grande explosão devido ao descarrilamento de um comboio(alegadamente proveniente da mítica Área 51)perto de uma pequena cidade, miúdos que estão a realizar um filme caseiro (daí o título de 'Super 8') e após o descarrilamento vê-se que algo de monstruoso quer sair de dentro de um dos vagões. J.J. Abrams tem-se revelado um mestre na arte de cativar a atenção dos espectadores, alimentando o mistério através de pequenas pistas e criando depois premissas invulgares e originais. Além do sucesso continuado da série «Lost», Abrams utilizou este processo com êxito num filme que escreveu e produziu, «Nome de Código: Cloverfield».«Super 8» é realizado por J.J. Abrams (o terceiro filme que dirige para cinema, após «Missão Impossível III» e «Star Trek»), que partilha as funções de co-produtor e argumentista com um colaborador de peso, Steven Spielberg.A estreia está prevista para 10 de Julho de 2011. Até lá fiquemos com o que por aí circula.

Japão-Antes e Depois

Japão... antes e depois.
Passem o rato em cima das imagens (tipo scroll lateral) e vejam o antes e depois da catastrofe que assolou este país... impressionante!
http://www.vg.no/nyheter/utenriks/jordskjelv-i-japan/bilder.php

Leonardo da Vinci - A Última Ceia


Leonardo da Vinci, nascido em Vinci em 1452 e falecido em 1519 em Clouz, é uma das mais famosas e importantes figuras da arte ocidental.Começou a estudar com Andrea del Verocchio, em 1468, e continuou na sua oficina até 1477, embora já se tivesse tornado membro da Guilda de pintores florentinos em 1472.Leonardo esteve entre 1482/83 até 1499 ao serviço de Ludovico il Moro em Milão, onde regressou em 1506 depois de residir em Mântua, Veneza e Florença.Em 1513, mudou-se para Roma e em 1516 foi para França, a convite do Rei Francisco I.Leonardo não foi só pintor, escultor, arquitecto e engenheiro, pois, também escreveu tratados académicos de anatomia e outros temas.Personifica o ideal renascentista do artista universal, activo em todas as formas da arte.Leonardo teve grande influência na história da pintura dado a sua mestria na composição pictural e a introdução de novas formas de pintura.Destacam-se na sua obra, entre outras "O Baptismo de Cristo","Adoração dos Reis Magos", "Virgem dos Rochedos,"Anunciação","Virgem e o Menino","Mona Lisa,"A Virgem, o Menino e Santa Ana", "São João Baptista","Retrato de Mulher",estando estes últimos quadros nomeados,no Museu do Louvre em Paris.A obra que aqui aparece, denominada de "A Última Ceia", encontra-se no Refeitório do Mosteiro de Santa Maria delle Grazie, em Milão, tem 460x880 cm (técnica mista) e é considerada a par da Mona Lisa (Gioconda) a obra mais famosa de Leonardo.Também é considero o mais famoso tratamento pictórico desse tema, visto que inúmeros pintores ao longo dos tempos têm tratado a última ceia das mais variadas formas.Leonardo com o seu engenho e arte, transcende o tema tradicional quer no conteúdo quer na forma, retratando o momento em que Cristo profere as palavra: "Um de vós trair-me-á". O espanto reflecte-se nos gestos e nos dinâmicos grupos de três.Judas está entre eles e, contudo, isolado, posto que inclinado para a frente ( o último do lado esquerdo da tela) a sua figura permanece na sombra olhando expectante para Jesus.Uma obra de uma magnitude impressionante e que não deixa de ser motivo de estudo para os especialistas, uma vez que a mesma tem servido para várias especulações nomeadamente devido à suspeita da presença de Maria Madalena entre os presentes.Magnífica obra!

segunda-feira, março 14, 2011

O Smiley que nunca ria

Um triste Smiley, sempre insatisfeito com a vida, nunca vê razões para sorrir. Até que um dia…

Simpático anúncio da McCann Erickson SA / Velocity para a 8.ta, operadora de telecomunicações sul-africana.

Time Force

Antoine Bourdelle-Héracles

Poder, força e energia contida parecem prestes a saltar desta figura impressionante de Héracles. A sensação de vitalidade é-nos transmitida pelas formas musculosas e pelos traços expressivos e audazes que o autor esculpiu. Por outro lado, o arco puxado por uma mão enorme e poderosa confere à escultura uma grande tensão ainda reforçada pela perna deste arqueiro que, de tendões salientes, se apoia energicamente contra uma pedra. Antoine Bourdelle foi aluno de Auguste Rodin.No entanto, em vez de seguir o estilo mais solto do seu mestre,Bourdelle estudou a escultura de estilo gótico e a da Antiga Grécia.Inspirado por imagens da Antiguidade clássica, o artista tentou imitar-lhes a sensação de densidade e volume, o que ia contra a escultura da época, muito mais centrada na beleza e graciosidade das formas. Tensa e épica, esta escultura condensa as procura incessante de Bourdelle para trazer graciosidade à sua obra.Antoine Bourdelle nasceu em 1861 e morreu na cidadezinha de Vesinet em 1929.Esta sua obra intitulada de "Héracles", foi realizada em 1908, é em gesso, tem uma altura de 248 cm e pode ser vista o Museu Bourdelle em Paris.

domingo, março 13, 2011

The Adjustment Bureau-Os Agentes do Destino



Estreou esta semana em Portugal o filme de Jeorge Nolfi "The Adjustment Bureau", os Agentes do Destino" em português.O filme traça o percurso de vida/destino de David Norris (Matt Damon) um ambicioso político nova iorquino que à beira de conquistar um lugar no Senado, conhece a bela bailarina contemporânea, Elise Sellas (Emily Blunt) uma mulher como ele nunca conheceu. Mas assim que se começam a apaixonar, misteriosos homens conspiram para mantê-los afastados. David percebe que está a lutar contra os próprios Agentes do Destino, que farão tudo ao seu alcance para evitar que David e Elise fiquem juntos. Perante tão estranhos acontecimentos, ele tem de deixá-la ir e aceitar o caminho que lhe foi destinado… ou arriscar tudo e desafiar o Destino.O filme trata um tema muito caro a P.K.Dick, uma vez que coloca-nos perante a questão de sabermos se a nossa vida é um caminho traçado por nós em que o Livre-Arbitrío está inegavelmente presente ou se estamos determinados a seguir aquilo que os agentes do Adjustment Bureau denominam de "traço previamente definido" por uma entidade que até ao fim do filme nunca chegamos a saber quem é, apesar da nossa curiosidade.Contudo, o realizador contorna bem esta questão, fazendo-nos perceber que ela pode ser apenas e só a nossa própria vontade de decidir sobre o rumo das nossas vidas.O simples facto de abrirmos uma porta (e o filme está cheio delas)pode fazer com que viremos uma página da nossa vida e tormemos um rumo que talvez não tomaríamos se essa porta não fosse aberta.Assim,e tal como disse J.P.Sartre "somos nós e a nossa circunstância", estamos sós, lançados no mundo e nem essa entidade misteriosa tem poder supremo sobre as nossas decisões.Gostei do filme, gostei mesmo muito, uma vez que Jeorge Nolfi, partindo de um pequeno conto de K.Dick (também em Relatório Minoritário Steven Spilberg, tinha feito o mesmo), consegue realizar um filme muito interessante a nível estético, com actores muito seguros no seu papel (Terence Stamp, impecável como sempre, assim como o actor Anthony Mackie ) e com uma Emily Blunt em estado de graça e perfeita no seu papel de bailarina.Matt Damon, a meu ver está a revelar-se como um dos grande actores de Hollywood e quem o vê em "Herafter","True Grit" e agora neste "Adjustment Bureau", fica com a impressão que o rapaz não se cansa e está sempre muito 'dentro' das personagens por si representadas.2010 em termos cinematográficos é para mim de facto, o ano de Matt Damon.Para quem gosta dos livros deste grande autor de ficção que é P.K.Dick e para quem gosta de filmes que fazem questionar a nossa existência e breve passagem por este mundo, eis um bom filme a não perder.

Disney Dream Portrait

O filme que aqui aparece mostra bonitas fotos e nelas podemos nelas reconhecer actores, e cantores, tais como Queen Latifah no papel da maldosa Úrsula no conto "A Pequena Sereia", Raquel Weisz como "Branca de Neve", Jeff Bridges e Penélope Cruz, no conto "A Bela e o Monstro", Gisele Bundchen como Wendy do conto "Peter Pan", Scarlett Johansson como "Cinderela",Alec Balwin como espelho, no conto "Branca de Neve",David Beckham como Príncipe do conto "A Bela Adormecida",Orlando Bloom, J.Lopes e Marc Antony, Julianne Moore,Michael Phelps,Beyoncé,Jack Black, Mikhail Bayshnikov, entre outros.Estas fotos foram realizadas pela conhecida fotógrafa Annie Leibonvitz, para a campanha dos estúdios da Disney, "Disney Dream Portrait".Autênticas obras de arte.
video

quinta-feira, março 10, 2011

Hieronymus Bosch-As Tentações de Santo Antão

Há pouco tempo fui ao Museu de Arte Antiga, ver a exposição sobre os pintores denominados de "Primitivos Portugueses".Obviamente que a exposição foi excepcional e os quadros expostos constantes surpresas para mim e acredito que para muitos que usufruiriam desta magnífica exposição.É incrível o que aquelas oficinas produziram, é quase inacreditável a quantidade de 'mestres' portugueses que existiram muitos deles perfeitos desconhecidos.Antes de seguir para a descoberta destes tesouros artísticos, estive apreciando indolentemente as obras que fazem parte do espólio deste museu, e quando cheguei à obra "As Tentações de Santo Antão",obra de Hieronymus Bosch, tive que me sentar, e uma vez mais dei por mim ali parada a olhar para esta obra e uma vez mais a não me cansar de olhar para ela.Parece-se sempre que cada vez que a vou ver,descubro nela algo de novo, porque de facto a obra é de uma riqueza surpreendente tendo em conta todo aquele horror que H.Bosch tão bem soube retratar.Uma vez mais,dei por mim a olhar para aquele tão sofrido Santo Antão, devoto eremita, que aqui nesta obra está sujeito a todas as tentações e torturas que a imaginação diabólica e cruel de Bosch pode convocar.O mal espreita a todos os cantos, senão vejamos:
Uma mulher sedutora esconde-se numa árvore deformada, um monstro irrompe de um fruto enorme quase podre,por toda a cena reinam criaturas ameaçadoras, sobrenaturais...contranatura.O inferno devastador, ao fundo, insinua o destino que espera todos aqueles que sucumbem ao mal.O estilo de Hieronymus Bosch é único, penso que sem paralelo na tradição pictórica holandesa. A sua obra em nada se compara à dos artistas da altura, tais como van Eyck ou Van der Weyden.A maior parte dos temas de Bosch gira em volta de cenas da vida de Cristo, ou de algum santo, que se confronta com o mal e o pecado, ou são alegorias acerca da insensatez do ser humano. A sua obra parece estranhamente actual: quatrocentos anos mais tarde, a sua influência viria a revelar-se no Expressionismo, e mais tarde ainda no Surrealismo.Hieronymus Bosch, nasceu em 1450 e morreu em 1516.Esta impressionante obra denominada de "As Tentações de Santo Antão", foi realizada em 1505, é óleo sobre madeira, tem 131,5x172cm e pode ser vista no Museu de Arte Antiga em Lisboa.Quando a for ver esta magnífica obra, não se esqueça de contornar a mesma e apreciar as 'cinzentas' nas alas laterais do tríptico.Uma delícia e uma raridade!

quarta-feira, março 09, 2011

Os Nossos Sonhos

Espantosas imagens de uma cidade onde os sonhos de cada um se tornam realidade e ganham vida. Fabuloso anúncio “Infinity”, produzido pela SpyFilms para a Batelco, empresa de Telecomunicações do Bahrein.

Lost Things

Coisas perdidas… um magnífico filme em stop-motion de Angela Kohler / Ithyle Griffiths e protagonizado por Alison Sudol. Música: ‘Sleepwaking’, A Fine Frenzy

William Hogarth-Cena de Pequeno-Almoço

Já é tarde, uma cadeira está tombada no chão, há cartas espalhadas sobre o tapete e o cobrador de dívidas rola os olhos em desespero, perante tudo aquilo que vê.Grande noitada de copos e de jogo, demasiados gastos com uma casa opulenta e caprichos de uma esposa muito indolente encontram-se muito bem e deliciosamente satirizados neste quadro de William Hogarth.Para este pintor, a crítica de gostos era também uma crítica das maneiras e ele ridiculariza aqui os grotescos objectos de arte sobre a lareira, o fantástico e muito florido relógio e o busto em mármore que mais parece um porco que um nobre romano???.Aprendiz de gravador, consta que Hogarth fugiu com a filha do seu mestre.Cansado das formas convencionais de arte, especializou-se em comentários visuais muito mordazes sobre as condições sociais, daí resultando uma série de quadros que contavam uma história.A partir das obras a óleo originais forma feitas inúmeras gravuras, que eram muito apreciadas.Embora os seus trabalhos fossem paralelos aos dos pintores franceses do Rococó, o seu espírito cómico e estilo são nitidamente ingleses.W.Hogarth, nasceu em Londres em 1697 e morreu na mesma cidade em 1764.Esta sua obra, denominada de "Cena de Pequeno Almoço, de Casamento da Moda", foi realizada em 1745, é óleo sobre tela, tem 71x91cm e pode ser vista no National Galllery em Londres.

terça-feira, março 08, 2011

Mike Tyson's feat Busch - The President's Speech

Cão...sofre

Um cão velho e com olhar cansado que caminhava pela rua, entrou no meu jardim. Pude ver, pela coleira e pelo brilhante, que era bem alimentado e bem cuidado. Caminhou calmamente até mim e eu afaguei-o. Depois seguiu-me e entrou em casa. Passou pela sala, entrou no corredor, deitou-se num cantinho e dormiu. Duas horas depois foi para a porta e deixei-o sair. No dia seguinte voltou, fez-me uma "festinha" no jardim, entrou em minha casa e novamente dormiu por um par de horas no cantinho do corredor. A cena repetiu-se repetiu por semanas. Fiquei com vontade de saber quem seria o dono e assim coloquei um bilhete na coleira:
-"Gostaria de saber quem é o dono deste lindo e amável cachorro, e perguntar se sabe que ele vem até a minha casa todas as tardes para tirar uma soneca."
No dia seguinte lá veio ele para sua habitual soneca e trazia outro bilhete na coleira:
-"Ele mora numa casa com 6 crianças, 2 das quais têm menos de 3 anos - provavelmente está tentando descansar um pouco. Será que posso ir com ele amanhã
???"

domingo, março 06, 2011

Se o Mundo Tivesse 100 Pessoas

Se o Mundo tivesse 100 pessoas é um pequeno filme premiado e que mostra o fosso existente entre países ricos e países pobres.Um filme que nos faz pensar.

Kadafi fala aos Portugueses

Só RIR!!!!

Sir Henry Raeburn-O Reverendo Robert Walker Patinando no Duddingston Loch

Divertindo-se durante o inverno num lago gelado dos arredores de Edimburgo, um alegre reverendo é apresentado a patinar numa pose exagerada e muito teatral.O seu vestuário negro, conservador, ressalta no fundo cinzento e esbatido.A representação de um membro da Igreja feita deste modo não só revela o humor do pintor, como também a sua intimidade com o modelo em causa.Sendo um dos pintores escoceses mais populares, Henry Raeburn pintou personalidades importantes de Edimburgo, durante o Iluminismo. Foi tão profícuo que diz-se que pintou mais de mil retratos.Entre os retratados encontram-se poetas, professores, filósofos, e dignatários locais, bem como pitorescos chefes de clãs que foram pintados com muito humor e jovialidade.Henry Raeburn recebeu o título de cavaleiro conferido por Jorge IV, em 1822.No ano seguinte, poucos meses antes da sua morte, foi nomeado pintor oficial de Sua Majestade na Escócia.Nascido em 1756 na cidade de Stockbridge, Raeburn morreu em 1823 em Edimburgo.Esta sua obra "O Reverendo Robert Walter Patinando no Duddington Loch", foi realizada por volta de 1748, é óleo sobre tela, tem 76x64cm e pode ser apreciada no National Gallery of Scotland, em Edimburgo.

Visita Virtual a Monumentos Portugueses

Através destes links podemos fazer visitas virtuais a Museus e Monumentos Portugueses.
Convento de Cristo - Tomar
http://3d.culturaonline.pt/Content/Common/VirtualTour/Index.htm?id=82e66d80-439e-4f29-bc9b-576e98efee57
Mosteiro da Batalha
http://3d.culturaonline.pt/Content/Common/VirtualTour/Index.htm?id=42bb5d98-e786-4f02-bb5f-2aa349af28dd
Mosteiro de Alcobaça
http://3d.culturaonline.pt/Content/Common/VirtualTour/Index.htm?id=c26617b5-acd3-422e-998f-5bd163a99efc
Museu Nacional de Arte Antiga - Lisboa
http://www.culturaonline.pt/MuseusMonumentos/Museus/Pages/M_nacional_arte_antiga.aspx
Palácio Nacional de Sintra
http://www.culturaonline.pt/MuseusMonumentos/Palacios/Pages/PN_Sintra.aspx
Torre de Belém - Lisboa
http://www.culturaonline.pt/MuseusMonumentos/Monumentos/Pages/Torre_Belem.aspx
Museu Soares dos Reis - Porto
http://www.culturaonline.pt/MuseusMonumentos/Museus/Pages/M_Soares_Reis.aspx
Palácio Nacional da Ajuda - Lisboa
http://www.culturaonline.pt/MuseusMonumentos/Palacios/Pages/PN_Ajuda.aspx

sexta-feira, março 04, 2011

Pensamentos e Gato

"É melhor ser violento se há violência nos nossos corações do que vestir o casaco da não violência para esconder a impotência".Ghandi

"O homicídio é único porque extingue a parte que ofende.Então a sociedade tem que pôr-se no lugar da vítima e em nome dela exigir expiação ou conceder perdão". W.H. Auden

"Os americanos não têm noção da privacidade.Não sabem o que isso significa.Não existe tal coisa no país". Bernard Shaw

"Uma fotografia é um segredo sobre uns segredo.Quanto mais nos conta menos sabemos". Diana Arbus

"Todos usamos máscaras e chega a altura em que não podemos tirá-las sem tirar a nossa pele".Andre Berthiaume

"O indivíduo teve sempre de lutar para não ser assolado pela tribo". Nietzsche

"No fim, não são os anos de vida que contam, mas sim a vida nesses anos". A.Lincoln

"São aqueles com quem vivemos e que amamos e que devíamos conhecer, que nos fogem continuamente". Norman Mclean

"O que fazemos por nós morre connosco.O que fazemos pelos outros e pelo mundo permanece imortal".Albert Pine

"Quem derrama o sangue do Homem pelo Homem o seu sangue será derramado". Génesis

"A lembrança do que já passou, não é necessariamente de que como as coisas foram".M.Proust

"Aquele que pensa embarcar numa viagem feita de vingança deve antecipadamente cavar duas sepulturas".Confúcio

quinta-feira, março 03, 2011

Vittore Carpaccio-Duas Damas Venezianas Numa Varanda

As vestes enfeitadas a pérolas, que estas duas damas envergam são típicas da nobreza veneziana do século XV. As duas mulheres encontram-se numa varanda, brincando indolentemente com as aves e outros animais à sua volta.Se repararmos bem nesta tela objectivo da mesma não nos é muito claro, pois não se trata nem de um retrato, nem de uma história.Provavelmente, terá sido retirado de um painel maior, que poria esta parte em contexto e assim o tornaria bem mais compreensível.Vittore Carpaccio que nasceu em Veneza (se bem que não há certeza desse facto e morreu na mesma cidade em 1526) é possuidor de um estilo muito directo. Contudo, as suas obras não são tão realistas quanto às dos seus parceiros florentinos, mas por outro lado, dão preferência a um contar de histórias muito pitoresco, em detrimento do intelectualismo que então alastrava pela cidade.As suas cores, são muito vivas e têm todo o encanto e vivacidade que se associam à pintura veneziana.Carpaccio terá estudado com o pintor Bellini e tal como ele, usou temas religiosos e históricos como pretexto para representar o quotidiano de Veneza.O olhar de uma das damas, a que brinca com um cachorrinho branco e com uma vara tenta afastar um cão bem maior, é de alguma indolência verificável também na dama que a acompanha.Há um petiz que tenta afastar um pavão, ou agarrá-lo e esta proliferação de animais num espaço tão exíguo vem mais uma vez demonstrar que este quadro faria parte de um conjunto mais vasto de personagens.Esta obra denominada de "Duas damas Venezianas numa Varanda", foi realizada por volta de 1495/1500, é óleo sobre madeira, tem 164x94cm e pode ser apreciada no Museu Correr em Veneza.

terça-feira, março 01, 2011

Lady Gaga-Born This Way

«Born This Way» é o primeiro tema extraído do novo disco de Lady Gaga. A música atingiu o nº1 do top digital em mais de 20 países. Em Portugal, o single está à venda desde o dia 11 de Fevereiro apenas em formato digital, com a versão física a ser disponibilizada no dia 14 de Março. Além da música «Born This Way», o CD single inclui também três remixes do mesmo tema (da autoria de LA Riots, Chew Fu e DJ White Shadow).
Lady Gaga apresentou o seu novo single na última cerimónia dos Grammy, onde também arrecadou três prémios. A cantora continua com uma digressão esgotada pelo continente norte-americano.

Rogier van der Weyden-Deposição da Cruz

Tendo terminado no dia 27 do mês de Fevereiro uma magnifica Exposição sobre os mestres Primitivos Portugueses, (está patente no magnífico Museu de Évora e até 23 de Março a parte da exposição sobre os Pintores Luso Flamengos) nada mais a propósito do que vermos aqui uma deposição da cruz, realizada pelo mestre Rogier van der Weydon e cujo original se encontra patente no Museu do Prado em Madrid.De um realismo muito bonito e com pormenores soberbos esta deposição rivaliza com as realizadas pelos mestre portugueses. Há que estar atentos a pormenores muito interessantes que fazem desta tela um dos grandes pólos de atracção deste Museu em Madrid.

Misse Dior-Cherie

Acho o Máximo este spot publicitário realizado por Sofia Coppola e com a talentosa e bonita Natalie Portman.Está Lindíssiiimooooooo!