terça-feira, junho 30, 2009

Hans Baldung - A Morte e a Donzela

Hans Baldung, também conhecido como Baldung Grien, nasceu em Schwäbisch Gmünd em 1484 ou 1485 não se sabe ao certo e morreu em Estrasburgo em Setembro de de 1545. Foi um famoso pintor alemão do Renascimento.
Viveu na sua cidade natal até 1502, até que se mudou para Nuremberga, onde trabalhou no ateliê de Albrecht Dürer, tendo permanecido aí cinco anos, o que muito o influenciou nas suas obras.
Em 1509 mudou-se, novamente, para Estrasburgo onde entra em contacto com os círculos intelectuais de Martinho Lutero. Porém, entre 1512 e 1517, passou a residir em Friburgo, trabalhando na sua obra-prima, o altar da Catedral.
Apesar de realizar uma boa produção religiosa, a sua temática favorita era macabra, sendo a morte e o erotismo contantes em toda a sua obra. Na actualidade, algumas das suas obras estão expostas no Museu do Prado em Madrid.

Neste quadro que aqui aparece quatro figuras constituem uma Alegoria das três idades do homem. A morte é representada por um Esqueleto que segura uma ampulheta. À sua volta vêem-se um Bebé que dorme ( a infância), uma Rapariga (a juventude) e uma Velha desfigurada pela magreza (a velhice). Baldung era um desenhador muito fecundo, e o realismo dos corpos neste quadro revela que observou atentamente o corpo humano. À semelança do seu mestre A.Durer, Baldung não se dedicou só à pintura; para além de muitas gravuras fantásticas, deixou-nos desenhos para vitrais e uma extensa obra gráfica. Tal como H.Bosch, Baldung expressou o terror e o sofrimento do seu tempo recorrendo à fantasia. Uma das mais importantes obras de Baldung é o retábulo do altar da Catedral de Friburgo, que data de 151.Quando morreu em Estrasburgo Baldung era um abastado e influente membro da sociedade.
Este quadro intitulado A Morte e a Donzela, data de 1539, é Óleo sobre madeira, tem 151x61 cm e está no Museu do Prado em Madrid.

segunda-feira, junho 29, 2009

Michael Jackson

Michael Jackson feat Joe Satriani - Dirty Diana
http://www.youtube.com/watch?v=7Hg-IRZk4D0
Michael Jackson feat Naomi Campbell- In the Closet
http://www.youtube.com/watch?v=zwvix7uEQg0
Michael Jackson -Liberian Girl- Dedicated to Elizabeth Taylor
http://www.youtube.com/watch?v=3ethtD4R1kk
Michael Jackson feat Chris Tucker - You Rock my Word
http://www.youtube.com/watch?v=_AGgeUHi57k

domingo, junho 28, 2009

Jan Vermeer

Johannes Vermeer nasceu em Delft a 31 de Outubro de 1632 e morreu também em Delft a 15 de Dezembro de 1675. Foi um pintor holandês, que também é conhecido como Vermeer de Delft ou Johannes van der Meer.
Vermeer viveu toda a sua vida na sua terra natal, onde está sepultado na Igreja Velha (Oude Kerk) de Delft.
É o segundo pintor holandês mais famoso do século XVII (um período que é conhecido por Idade de Ouro Holandesa, devido às espantosas conquistas culturais e artísticas do país nessa época), depois de Rembrandt. Os seus quadros são admirados pelas suas cores transparentes, composições inteligentes e brilhante uso da luz.
Pouco se sabe da sua vida. Era filho de Reynier Jansz e Dingenum Baltens. Casou-se em 1653 com Catharina Bolenes e teve 15 filhos, dos quais morreram 4 em tenra idade. No mesmo ano juntou-se à Guilda de pintores de São Lucas. Mais tarde, em 1662 e 1669, foi escolhido para presidir à Guilda. Sabe-se que vivia com magros rendimentos como comerciante de arte, e não pela venda dos seus quadros. Por vezes até foi obrigado a pagar com quadros dívidas contraídas nas lojas de comida locais. Morreu muito pobre em 1675. A sua viúva teve de vender todos os quadros que ainda estavam na sua posse ao conselho municipal em troca de uma pequena pensão (uma fonte diz que foi só um quadro: a última obra de Vermeer, intitulada Clio).
Depois da sua morte, Vermeer foi esquecido. Por vezes, os seus quadros eram vendidos com a assinatura de outro pintor para lhe aumentar o valor. Foi só muito recentemente que a grandeza de Vermeer foi reconhecida: em 1866, o historiador de arte Théophile Thoré (pseudónimo de W. Bürger) fez uma declaração nesse sentido, atribuindo 76 pinturas a Vermeer, número esse que foi em breve reduzido por outros estudiosos. No princípio do século XX havia muitos rumores de que ainda existiriam quadros de Vermeer por descobrir.
Conhecem-se hoje muito poucos quadros de Vermeer. Só sobrevivem 35 a 40 trabalhos atribuídos ao pintor holandês. Há opiniões contraditórias quanto à autenticidade de alguns quadros.
A vida do pintor é retratada no filme "Girl with a Pearl Earring" (2004) do diretor Peter Webber. A atriz Scarlett Johansson interpreta Griet, a rapariga que presumidamente teria sido criada de Vermeer e que foi utilizada como modelo para essa sua famosa obra denominada de "Rapariga com Brinco de Pérola".
O filme que realizei procura mostrar algumas das obras deste espantoso pintor Holandês.
video

sábado, junho 27, 2009

Coco Avant Chanel

Brevemente estreará em Portugal o tão aguardado filme francês Coco Avant Chanel que retrata a vida e obra da famosa Coco Chanel. O filme com argumento e realização de Anne Fontaine, tem como atriz principal a famosa Audrey Tautou, sobejamente conhecida do filme "O Mundo fabuloso de Amélie Poulin" e da parceria que fez com Tom Hanks no "Código da Vinci". Audrey Tautou é coadjuvada por Emmanuelle Devos, Benoit Poelvoode, Alessandro Nivola e Marie Gillan.
O filme acaba por ser a história desta estilista desde o princípio da sua vida algo atribulada e polêmica nos primórdios do século XX. Começa por retratar a vida de uma rapariga pobre mas que conseguiu transformar a promessa de uma vida banal num surpreendente destino. Coco Chanel usou o seu talento natural de costureira para se impor no mundo da moda, inventando um estilo que não só ofuscou todos os outros, como permaneceu na moda quase um século depois. O seu nome era Gabrielle e quando, num cabaret, um grupo de homens bêbados a apelidou de “Coco”, no seguimento de uma canção que tentou cantar entre a animada multidão, ela não aceitou apenas esta alcunha embaraçosa, mas adoptou-a orgulhosa e teimosamente, impondo-a ao mundo inteiro: Coco Chanel. Enquanto o fime não estreia, vejamos um pouco do trailler.

Sabedoria do Riso

"Se eu soubesse que ia durar tanto tempo, tinha tido mais cuidado comigo".
George Burns, actor de comédia

"Quando se faz algo que tem piada, não é preciso ter-se piada a fazê-lo".
Charles Chaplin, cineasta a actor

"O problema de sermos pontuais é que nunca está ninguém para apreciar"
Franklin P.Jones, humorista

"Não quero alcançar a Imortalidade por meio do meu trabalho, quero alcança-la por não morrer".
Woody Allen, escrito e cineasta

"No meu tempo um Banco era o sítio onde emprestavam dinheiro a quem provasse que não precisava dele".
Bob Hope, acto de comédia

"Se Deus quisesse que o homem voasse, tinha-nos dado bilhetes de avião"
Woody Allen, escritor e cineasta

"Toda a vida quis ser alguém. Agora vejo que devia ter sido mais específica".
Jane Wagner, escritora e cineasta

"Não quero ser associado ao tipo de clube que aceita pessoas como eu".
Groucho Marx, actor de comédia

"Entre dois males escolho sempre aquele que ainda não experimentei".
Mae West, acriz de comédia

"Tudo o que peço é uma oportunidade de provar que o dinheiro não me pode fazer feliz".
Spike Milligan, humorista

"Quando sou boa, sou boa, mas quando sou má ...sou ainda melhor".
Mae West, actriz de comédia

ooopssss!

video

Grant Wood - Gótico Americano

Grant DeVolson Wood, norte americano, nasceu em Anamosa, Iowa a 13 de Fevereiro de 1891 e morreu a 12 de Fevereiro de 1942. Grant Wood, ficou conhecido por nas suas pinturas representar a vida rural americana, mas propriamente a vida do Midwest americano.
A sua família mudou-se para Cedar Rapids após a morte do seu pai seu pai em 1901. Pouco tempo depois, Wood para ajuda a família começa a trabalhar como aprendiz numa loja de ferramentas, conciliando este trabalho com os estudos . Depois de formado,matricula-se numa escola de arte em Minneapolis. Entre 1920 a 1928 faz quatro viagens à Europa, onde estuda vários estilos de pintura, especialmente o impressionismo e pós-impressionismo. Mas foi o trabalho de Jan Van Eyck que o vão influenciar passando a assumir a clareza desta nova técnica e a incorporá-la nas suas novas obras. De 1924 a 1935 passa a viver num estúdio que ele batizará de "5 Turner Alley".
Quando Wood morreu de cancro hepático a grande herdeira das suas obras foi a sua irmã Nan Wood Graham, a mulher retratada na sua mais conhecida obra Gótico Amerciano. Por sua vez quando esta faleceu a maior parte da obra de Wood passou a pertencer ao Museu de Arte Figge em Devemport, Iowa.
Wood ficou impressionado com uma simples casa de campo de estilo neogótico que encontrou no Iowa do Sul e pintou este quadro a partir da imagem de que se lembrava. Utilizou a sua irmã e o seu dentista como modelos para o casal. Wood foi acusado de satirizar os naturais do Midwest, mas afirmou que tinha feito o quadro como uma homenagem à dignidade puritana e simples que encontrava na America das pequenas cidades. Por residir muito tempo no Iowa, Wood foi um dos expoentes do Regionalismo, uma forma de realismo comum na Anérica do Sul, durante os anos 30 baseada na ideia de acabar com a dependência cultural dos artistas americanos em relação à Arte Europeia.O seu estilo de linhas rígidas, firmemente delineadas e modeladas, foi inspirado no Gótico e nos mestres primitivos do Renascimento, que Wood estudou na Europa, nos anos 20.Esta composição de Wood, Gótico Americano, tem sido utilizado para diversas sártiras à vida rural ou mesmo citadina dos americanos, assim como é hoje tido como um ícone artistico, conhecido a nível mundial.
Este quadro denominado Gótico Americano, foi pintado em 1930, é Óleo sobre tela, (74.33x62.4cm) e está em Chicago no Art Institute of Chicago.

O Poder de um Vestido!

video

sexta-feira, junho 26, 2009

Jan Bruegel o Novo - O Jardim do Éden

Jan Bruegel, nasceu em Antuérpia em 1568 e morreu também em Antuérpia em 1625. Era filho de Pieter Bruegel, O Velho. Não tão conhecido e famoso como o seu pai Jan Bruegel ficou contudo conhecido pela forma como pintava as flores, as paisagens e temas relacionados com o Paraíso. As suas composições têm um acabamento exemplar, o que levou a que fosse conhecido, por "Bruegel de Veludo".
Este quadro que aqui aparece mostra-nos animais exóticos e comuns misturando-se neste jardim do Éden, meticulosamente representado.Aqui a maior preocupação de Jan Bruegel foi a de criar uma paisagem mística e imaginária enquanto as figuras de Adão e de Eva ficam reduzidos a uma presença insignificante, de modo a fazer sobressair o cenário onde se encontram.Por muito limitada que a fauna e a flora nos pareça actualmente, a verdade é que Jan Bruegel conseguiu envolver este recanto do bosque numa atmosfera de sonho. A sua mestria reveladora de uma grande sensibilidade para os ambientes naturais, contribuiu para o desenvolvimentoda grande tradição do paisagismo Holandês do século XVII.
Este quadro denominado de "Jardim do Éden", é Óleo sobre tela, (53x84) e encontra-se em Londres no Museu Victoria and Albert.

O meu Adeus a Michael Jackson

Michael Joseph Jackson nasceu em Gary Indiana, 29 de Agostode 1958 e morreu em Los Angeles a 25 de Junho de 2009. Conhecido simplesmente como Michael Jackson, foi um músico conhecido como cantor, compositor, produtor, realizador, dançarino e instrumentista que começou a carreira aos 5 anos de idade como líder vocalista do grupo Jackson 5. Teve uma infância conturbada e onde consta que o seu pai o martirizava constantemente.É voz corrente que o pai os chicoteava nos bastidores dos espectáculos,cada vez que algum dos manos Jackson se enganava em palco!Lançou-se a solo no início dos Anos 70, ainda pela Motown Editora responsável pelo sucesso do grupo formado por ele e pelos irmãos. Em idade adulta gravou o álbum mais vendido da história, Thriller. Acumulou recordes e prémios colocando um total de 20 canções na liderança dos tops.
Nos anos 80, foi o criador de um estilo totalmente novo de dança, utilizando especialmente os pés. Nos anos 90 foi suspeito em casos de abuso sexual de menores. Por isso, interrompeu a carreira em duas ocasiões: em 1993 e em 2003, quando foi indiciado por sete crimes, julgado e considerado inocente pelo júri.Preparava agora o seu regresso em grande numa tournée que se iniciaria em Londres.
É precisamente com o video clip Thriller que presto a minha homenagem a Michael Jackson.
Que finalmente tenhas alguma descanso na tua vida atribulada.

quinta-feira, junho 25, 2009

Pieter Bruegel o Velho - A Queda dos Anjos Rebeldes

Pieter Brueghel, "O Velho" nasceu em Breda, 1525/1530 e morreu em Bruxelas, 9 de Setembro de 1569 .Foi um pintor da Flandres, célebre por nos seus quadros retratar paisagens e cenas do campo.
Pieter Brueghel, conhecido como Pieter Brueghel, "O Velho" (para distinguí-lo de seu filho mais velho), foi o primeiro de uma família de pintores flamengos. Assinou como Brueghel até 1559.Depois seus filhos retiraram o "h" do sobrenome.
P. Bruegel ,"O Velho", considerado um dos melhores pintores Flandres do século XVI, é o membro mais importante da sua família, uma vez que o seu filho, também pintor, nunca teve reconhecimento idêntico ao do pai. Foi admitido como mestre na Guilda de São Lucas com 26 anos, em 1551, e aprendiz de Coecke Van Aelst artista de Antuérpia, escultor, arquiteto e "designer" de tapeçarias e vitrais. É nesta altura que Bruegel viaja para a Itália, onde produz uma série de pinturas, a maior parte das quais representando paisagens. A sua primeira obra assinada e datada foi produzida em Roma, em 1553.
Em 1553, se estabeleceu em Antuérpia e dez anos depois mudou para Bruxelas permanentemente. Casou-se com Mayken em 1563, filha de Van Aelst, seu mestre.
O objectivo da sua viagem a Itália era aprender as formas de pintar dos mestres Renascentistas permanecendo , como interno, uma temporada no atelier de um professor Siciliano.
Bruegel ficará conhecido por ser um pintor de multidões e de cenas populares. Além da sua predileção por paisagens, pintou quadros que realçavam o absurdo na vulgaridade, expondo as fraquezas e loucuras humanas, que acabaram por lhe trouxer muita fama. A mais óbvia influência sobre sua arte é de Hieronymus Bosch, em particular no início dos estudos de imagens demoníacas, como o “Triunfo da Morte” e “Dulle Griet”, 1562. Foi na natureza, no entanto, que ele encontrou seu maior inspiração, sendo identificado como um mestre de paisagens. Bruegel é muitas vezes tido como o primeiro pintor ocidental a pintar paisagens para as suas próprias razões, e não como um pano de fundo histórico qualquer.Retratava a vida e costumes dos camponeses, a sua terra, uma vívida descrição dos rituais das aldeias, da vida, incluindo a agricultura, a caça, as refeições, as festas, danças e jogos. As suas paisagens de inverno de 1565 (por exemplo “Caçadores na Neve”) são hoje tidas como provas corroborativas da gravidade dos invernos durante a Pequena Era Glacial.
Utilizando um abundante espírito cômico, criou algumas das primeiras imagens de protesto social na história da arte. Exemplos disso, são as suas obras “O Combate do Carnaval e da Quaresma” (uma sátira dos conflitos da Reforma), e "A Torre de Babel". Na obra "O Combate do Carnaval e da Quaresma",Bruegel representa o princípe Carnaval obeso, representando os Protestantes, e os Católicos são representados por um indivíduo magro e triste ataviado com uma colmeia na cabeça!
Bruegel no fundo procurava caricaturar tanto uns como outros.
Nas composições "A Pequena Torre de Babel", e "A Grande Torre de Babel". Bruegel, cria uma composição em que essa torre referenciada na Biblia se ergue até ao céu, sendo uma interpretação de desmesura e de orgulho do Homem perante Deus.Pelo menos três vezes Bruegel, tomou por motivo a Torre de Babel. Duas versões chegaram até nós, a "grande "Torre encontra-se num Museu em Viena, a "pequena" num Museu em Roterdão.
Este quadro de Bruegel que aqui aparece o Arcanjo Miguel, representado ao centro da composição, com uma armadura castanho-dourada, expulsa do Céu os anjos rebeldes a Deus. Os anjos, de túnica branca, combatem a seu lado, os anjos caídos transformando-se na maior parte em corpos nus de híbridos imaginários.No bordo superior do quadro, um segmento de círculo luminoso revela a proximidade de Deus; de facto, a parte superior, bastante celeste, é mais ordenada, menos povoada que a parte inferior, próxima do Inferno, onde os personagens caem desordenadamente e onde reina o caos.Se compararmos os anjos com as criaturas infernais repararemos que os primeiros estão vestidos com trajes de pregas fartas, deixando apenas a descoberto a cabeça e as mãos. Pelo contrário, a maior parte dos "maus" estão nus, e além disso, abrem as bocas ou mesmo o corpo, expondo alguns deles, o anús aos olhos do público. Com isso Bruegel pretende mostrar apenas a forma carnal destes, indicando assim que eles estão nos antípodas dos anjos, os seres espirituais.
Este quadro de P.Bruegel "O Velho", denominado de A Queda dos Anjos Rebeldes, 1562, ,117x162 cm, encontra-se no Museu de Belas Artes em Brugelas



Biblioteca Digital da Unesco

A UNESCO criou uma Biblioteca Digital. Dezenas de milhares de livros, imagens, manuscritos, mapas, filmes e gravações de bibliotecas em todo o mundo foram digitalizados e traduzidos em diversas línguas para a abertura do site da Biblioteca Digital da Unesco.
É só clicar
(www.wdl.org).
http://www.wdl.org/pt/#

terça-feira, junho 23, 2009

Imagem de Lisboa com Poesia de Fernando Pessoa

Outra vez te revejo,
Cidade da minha infância pavorosamente perdida...

Cidade triste e alegre, outra vez sonho aqui...
Eu? Mas sou eu o mesmo que aqui vivi, e aqui voltei,

E aqui tornei a voltar, e a voltar.
E aqui de novo tornei a voltar?

Ou somos todos os Eu que estive aqui ou estiveram,
Uma série de contas-entes ligados por um fio-memória,

Uma série de sonhos de mim de alguém de fora de mim?
Outra vez te revejo,

Com o coração mais longínquo, a alma menos minha.
Outra vez te revejo

Lisboa e Tejo e tudo
Transeunte inútil de ti e de mim,

Estrangeiro aqui como em toda a parte,
Casual na vida como na alma,

Alváro de Campos
Lisbon Revited
1926



Maria Teresa Horta-Só de Amor

Maria Teresa Horta nasceu em Lisboa e fez a sua estreia no campo da poe­sia em 1960, com um livro de poemas cujo título é premonitório: Espelho Inicial. Jornalista de profis­são, o seu nome começa por ser associado ao grupo da «Poesia 61». Mas, a partir de 1971, devido ao escândalo que envolveu a publicação das Novas Cartas Portuguesas, de que foi co-autora, e ao processo judicial que se lhe seguiu, passa a ser vista como um expoente do feminismo em Portugal.
A sua visão do erotismo funda-se no desejo de uma autêntica complementaridade entre a mulher e o homem e esclarece-se, quanto a nós, à luz da tese platónica da cisão originária dos seres em duas metades e da trajectória de cada uma delas em busca da outra, através do amor. Daí que a sua poesia se reconheça dentro de uma belíssima definição do erotismo dada por Bataille: «uma imensa aleluia perdida num silêncio sem fim» (O Erotismo, 1957).
Nesta obra poética, marcada por uma invulgar coerência, espelha-se uma concepção de poesia profundamente intimista e feminina, alimentada pela crença no amor único e recíproco, como forma abso­luta de negar a violência da morte e a inconstância dos afectos humanos. [...]
Maria João Reynaud, in Vozes e Olhares no Feminino, Edições Afrontamento, Porto 2001, pp. 32 -
34
Morrer de amor
ao pé da tua boca
Desfalecer a pele do sorriso
Sufocar de prazer com o teu corpo
Trocar tudo por ti se for preciso.
Maria Teresa Horta

Retenho com os meus dentes
a tua boca
entreaberta
e as palmas das mãos
dormentes
resvalam brandas e certas
As tuas mãos no meu peito
e ao longo
das minhas pernas
Maria Teresa Horta

Não sei como consigo
amar-te tanto
se querer-te assim na minha fantasia
é amar-te em mim
e não saber já quando
de querer-te mais eu vou morrer um dia
perseguir a paixão até ao fim é pouco
exijo tudo até perder-me
enquanto, e de um jeito tal que desconhecia
poder amar-te ainda
um outro tanto
Maria Teresa Horta

Não contes do meu vestido
que tiro pela cabeça
Nem que corro os cortinados
para uma sombra mais espessa
Deixa que feche o anel
em redor do teu pescoço
com as minhas longas pernas
e a sombra do meu poço

Não contes do meu novelo
nem da roca de fiar
Nem o que faço com eles
a fim de te ouvir gritar
Maria Teresa Horta

segunda-feira, junho 22, 2009

Gustave Courbet - Bom Dia Sr Courbet

Gustave Courbet nasceu em França mais propriamente em Ornans a 10 de Junho de 1819 e morreu em La Tour de Peilz 31 de Dezembro de 1877. Foi um pintor anarquista pertencente à escola Realista. Foi acima de tudo um pintor de paisagens campestres e marítimas onde o romantismo e idealização da altura são substituídos por uma representação da realidade fruto de observação directa. Esta busca da verdade é transposta para a tela em pinceladas espontâneas que não deixam de lado os aspectos menos estéticos do que é observado.
Courbet nasceu numa família de proprietários de terras.Depois de freqüentar um colégio na mesma cidade, começou a ter aulas de pintura e iniciou seus estudos de direito em Paris. Finalmente decidiu estudar desenho e pintura por iniciativa própria, copiando os grandes mestres no Louvre, principalmente Hals e Velázquez. As suas primeiras obras foram uma série de auto-retratos. Em 1844 expôs pela primeira vez no Salão de Paris e dois anos mais tarde apresentou os quadros Enterro em Ornans e O Ateliê do Artista, que lhe custaram críticas severas e a recusa do Salão de Paris devido aos seus temas demasiadamente prosaicos. Courbet não se deu por vencido e construiu um pavilhão perto do Salão, onde expôs quarenta e quatro de suas obras, que chamou de Realista fundando assim esse movimento.

Em Maio de 1854, Courbet chegava a Montepellier como convidado de Alfred Bruyas, um destacado coleccionador e patrono das artes. Courbet, na tela que aqui aparece, mostra-nos o momento em que, segurando um bordão e de mochila às costas é recebido no caminho pelo seu anfitrião, o criado deste e o cão. O tema escolhido pelo pintor, é de um extremo realismo e honestidade, o que causou grande agitação ao ser exibido na grande Exposição de Paris de 1855. Courbet seria então tornado arauto de um novo e anti-intelectual tipo de arte, liberto das amarras da história acadêmica e da pintura religiosa. Ao distanciar-se dos temas literários centrando-se no mnundo à sua volta Courbet tornava-se assim numa importante influência para Édouard Manet e para os Impressionistas. Consta que ao serl-he pedido que incluisse anjos numa pintura para uma igreja terá dito: "Nunca vi anjos. Mostrrem-me um que eu pintá-lo-ei"
O quadro que aqui aparece intitula-se "Bom dia Sr Courbet", foi realizada em 1854, é Óleo sobre tela, tem 129x149cm e está no Museu Fabre em Montpellier.



domingo, junho 21, 2009

O Verão de Giuseppe Archimboldo

Giuseppe Arcimboldo (1527/ 1593) foi um pintor italiano.
Iniciou seus trabalhos em Milão, com o seu pai, mas atingiu a fama em Praga, sob a proteção do Imperador Rudolph XI. As suas obras principais incluem a série "As Quatro Estações", onde usou, pela primeira vez, imagens da natureza, tais como frutas, verduras e flores, para compor fisionomias humanas. A ideia de reproduzir as estações como pessoas já era usada desde a época dos romanoss, no entanto Arcimboldo foi o pioneiro na utilização de vegetais de cada época, na composição de rostos humanos.
Arcimboldo trabalhou inicialmente com o seu pai, no vitral da catedral de Milão. A partir de 1562 morou em Praga, então capital do reino da Boêmia e hoje da República Tcheca, onde consolidou a sua carreira como artista. Serviu na corte de Fernando I e dos seus sucessores, nomeadamente Maximiliano II e do seu filho Rodolfo II, grandes mecenas. Arcimboldo foi admirado como artista pelos três monarcas, tornando-se pintor da corte chegando a ser nomeado Conde Palatino.
Praga transformou-se no século XVI, principalmente por causa de Rodolfo II, em um dos maiores centros culturais da Europa, de intensa e diversa actividade cultural e científica. Os seus governantes eram vistos, além de seus domínios, como simpatizantes do exótico. Nesse contexto, as singularidades da arte de Arcimboldo encontraram solo fértil para florescer.
O quadro que aqui aparece denomia-se de "O Verão".Visto de perto, este quadro parece ser o sonho de um vendedor de frutas. Ao afastarmo-nos, uma cabeça humana começa a tomar forma.Este quadro foi feito, na sua totalidade com frutos e vegetais do Verão.Embora conhecido por usar frequentemente frutos e legumes para criar os seus retratos, Archimboldo costumava também usar potes, panelas e até ferramentas na criação das suas estranhas imagens.As suas obras mais importantes foram pintadas em Praga, onde esteve ao serviço de alguns dos Habsburgos.Archimbolgo estava incumbido de outros trabalhos para a corte como poe exemplo fazer as decorações para as festividades, adquirir peças de arte para a colecção do Imperador, desenhar e construir fontanários.As pinturas de Archimboldo eram de alguma forma tidas como ridículas, embora fossem frequentemente imitadas.Foi apenas quando os Surrealistas viram nele um amante dos jogos visuais e, logo, um dos seus, que Archimboldo se tornou famoso.
Este quadro intitulado "O Verão", foi pintado em 1573, é Óleo sobre tela, tem 76x63,5cm e está no Museu do Louvre em Paris.

Ballet Negro

















Fernando Pessoa


Fernando António Nogueira Pessoa, mas conhecido por Fernando Pessoa nasceu em Lisboa no dia 13 de junho de 1888 e faleceu na mesma cidade em 30 de Novembro de 1935. Foi aclamado não apenas como o maior poeta português do século XX, como também o melhor poeta entre os melhores do mundo.
A sua sua vasta e complexa obra poética com forte teor filosófico suscitou, num ensaio crítico a indicação de Roman Jakobson (linguísta russo), para que o seu nome fosse incluído entre artistas do porte de James Joyce, Pablo Picasso e Igor Stravinski.
"...a obra de Fernando Pessoa pode ser tomada como um paradigma daquilo que de mais alto pôde fazer a poesia - e, por extensão, a arte - do século XX."
Este é o trecho de um artigo publicado na revista Cultsob so o título: "O Drama da Linguagem" de autoria de Rinaldo Gama
(...)
"Saúdo todos os que me lerem,
Tirando-lhes o chapéu largo
Quando me vêem à minha porta
Mal a diligência levanta no cimo do outeiro.
Saúdo-os e desejo-lhes sol,
E chuva, quando a chuva é precisa,
E que as suas casas tenham
Ao pé duma janela aberta
Uma cadeira predileta
Onde se sentem, lendo os meus versos.
E ao lerem os meus versos pensem
Que sou qualquer cousa natural
Por exemplo, a árvore antiga
À sombra da qual quando crianças
Se sentavam com um baque, cansados de brincar
E limpavam o suor da testa quente
Com a manga do bibe riscado."
Alberto Caeiro
Eu Nunca Guardei Rebanhos

William Holman Hunt-O Despertar da Consciência

William Holman Hunt pintor inglês nasceu em Londres a 2 de Abril de 1827 e morreu também em Londres, 7 de Setembro de 1910.
Fundou juntamente com Dante Gabriel Rossettii e John Everett Millais, em 1848, a Irmandade Pré-Rafaelita, um grupo artístico entre o espírito revivalista do romantismo e as novas vanguardas do século XX dedicada a observar atentamente a natureza, mas foi o único a manter-se fiel aos princípios dessa irmandade.

Este quadro que aqui aparece intitula-ser "O Despertar da Consciência". Quando olhamos para este típico escritório vitoriano, vemos uma mulher com ar de culpa levantando-se do colo do seu amante, interrompendo a música, subitamente consciente de que o que está a fazer é errado.A personagem feminina como que olha para nós e como que nos pede desculpa pelo que estava a fazer. Ele tenta que ela retorne ao seu colo, para isso estende a mão e sorri matreiramente! Os valores vitorianos estão aqui reflectidos, sendo estra pintura destinada a funcionar como comentário moral. O estampado dos tecidos, madeiras trabalhadas, o papel de parede e as cores alegres são típicas da meticulosa e quase obsessiva atenção que Hunt dedicava ao pormenor.De todos os pintores Pré-Rafaelitas ele e Ford Madox Brown foram os mais interessados em representar os valores morais e sociais da vida vitoriana.Hunt tentou pintar "em aplicação directa à natureza, usando como modelos os seus amigos em vez de modelos profissionais.
Este quadro que como já o disse em cima intitula-se de "O Despertar da Consciência", foi realizado em 1853, é Óleo sobre tela (76,2/55,9cm) e encontra-se no Tate Gallery em Londres.

sábado, junho 20, 2009

A Aranha

Vale a pena perder alguns momentos com esta aranha. Esta brincadeira também é óptima para os que sofrem de aracnofobia. A brincadeira está de tal forma bem feita que acreditamos que a aranha está viva.
O modo de se brincar:
Clica e arrasta a aranha com o teu mouse por uma perna de cada vez ou pelo corpo...
Também puxa uma das pernas e arrasta pela tela... e diz-me se ela não está viva!!!
Em qualquer lugar no mapa Clica a Tecla de Espaço enquanto passeias o mouse pelo mapa, isto fará com que insectos vão aparecendo e a aranha os vá comendo!
Incrível!
http://www.onemotion.com/flash/spider/

Campanha de Luta contra a Sida

Mais um bom vídeo de Luta contra a Sida. Este video tem ganho vários prémios e as razões estão bem à vista. Vejam e deliciem-se.
video

Portal de Sites

Neste Portal poderás encontrar Sites para consulta, que vão de Jornais, Bancos, Livrarias, Defesa do Consumidor, Revistas, Telecomunicações,Cinemas, Hipermercados, Centros Comerciais, Arranjos Domésticos, escolas, Teatros, Restaurantes,Stands,Agência de Viagens, Seguradoras, etc, etc, etc. É óptimo para ser adicionado aos Favoritos.

sexta-feira, junho 19, 2009

Verão

"Como quem num dia de Verão abre a porta de casa
E espreita para o calor dos campos com a cara toda,
Às vezes, de repente, bate-me a Natureza de chapa
Na cara dos meus sentidos,
E eu fico confuso, perturbado, querendo perceber
Não sei bem como nem o quê....
Mas quem me mandou a mim querer perceber?
Quem me disse que havia que perceber?
Quando o Verão me passa pela cara
A mão leve e quente da sua brisa,
Só tenho que sentir agrado porque é brisa
Ou de sentir desagrado porque é quente.
E de qualquer maneira que eu o sinta,
Assim, porque assim o sinto, é que é meu dever senti-lo...."
Poemas de Alberto Caeiro
O Verão chega neste domingo dia 21 de Junho às 06.46m e terá uma duraçao de 95/96 dias

quinta-feira, junho 18, 2009

Ligações Perigosas

Ligações Perigosas Título Original: State of Play
Classificação:M12
País:
Estados Unidos
Ano: 2009
Género:
Thriller
Duração: 127m
Intérpretes:
Ben Affleck,
Helen Mirren,
Rachel McAdams,
Robin Wright Penn,
Russell Crowe
Realização:
Kevin Macdonald
Argumento:
Matthew Michael Carnahan
Cal McAffrey é um veterano repórter de Washington, cuja profundo conhecimento das ruas, bem como a sua persistência e determinação, levam a desvendar um assassinato onde estão implicados alguns dos maiores políticos e empresários dos EUA. Elegante e fleumático, o congressista Stephen Collins é o futuro do seu partido político: um honrado representante, presidente de um comité de supervisão dos investimentos em defesa. Todos os olhos estão postos nele como possível próximo candidato à presidência dos EUA. Até a sua assistente e amante ser brutalmente assassinada e todos os segredos começarem a ser revelados. McCaffrey tem simultaneamente a sorte e o azar de ter uma amizade de longa data com Collins e também uma impiedosa directora no jornal, Cameron, que o destacou para investigar o caso. Enquanto ele e a sua colega Della tentam desvendar a identidade do assassino, McCaffrey desvenda um esquema de ocultação na área da defesa que ameaça toda a estrutura de poder dos EUA.
Look the trailler

quarta-feira, junho 17, 2009

Jonas Brothers-When You Look Me In The Eyes

Eles são irmãos, têm caras lindas, cantam músicas pop cheias de romantismo e boas mensagens. Os Jonas Brothers, acumulam milhões de discos vendidos, participações em filmes e séries da Disney, prémios e uma legião de fãs espalhada pelo mundo, incluindo esta fã portuguesa, moi!
Na semana passada, a banda formada por Nick, de 16 anos, Joe, de 19, e Kevin, de 21, conquistou o primeiro lugar da parada da Billboard com o álbum "A Little Bit Longer". De acordo com o site da revista, estes manos lindos venderam 525 mil cópias nos Estados Unidos e garantiram a marca de terceira melhor semana de vendas este ano. Os irmãos também conseguiram manter o álbum anterior, "Jonas Brothers", lançado em agosto de 2007, em 10.º lugar da lista. Colocar dois discos no top 10 da revista é um feito que não se repetia desde 1999, com os saudosos 'N Sync'. Com apenas três anos de carreira e três discos lançados, estes lindos garotos já parecem veteranos do mundo da música. Eles aparecem contínuamente em capas de revistas importantes, como a "Rolling Stone", e já tiveram direito a aparecerem no famoso museu Madame Tussauds, em Washington. Ah...é verdade, são todos virgens e pretendem sê-lo até ao casamento!

Magníficos, Apaixonantes, Electrizantes, Fabulosos, Magnifícos, Talentosos, eis os Jonas Brothers em When You Look Me In The Eyes.

Edifícios Estranhos existentes por este Mundo fora

Cubic Houses (Rotterdam, Netherlands)
Wonderworks (Pigeon Forge, Tennessee, United States)
Guggenheim Museum (Bilbao, Spain)
Ripley's Building (Ontario, Canada)
The Basket Building (Ohio, United States)
Kansas City Public Library (Missouri, United States)





Terreiro do Paço

Como irá ficar o Terreiro do Paço num futuro próximo!
http://aeiou.expresso.pt/como-vai-ser-o-terreiro-do-paco=f513370

terça-feira, junho 16, 2009

Bébés feitos em Maçapão

A Maçapao é aquela pasta feita em amêndoa muito bem ralada que se mistura com água (há quem junto água de flôr de laranjeira) e açucar. Com essa massa pode-se fazer variadíssimos doces e coberturas para bolos, assim como serve para recheio de bombons.A doçaria típica Algarvia usa muito maçapão e isso é visível naqueles pequenos doces em forma de laranja, maças, tangerinas, figos, etc.
Mas, como a imaginação humana não tem limites, foi-me dado a conhecer a obra artística de uma Canadiana de 27 anos de seu nome Camille Allen que se dedica a fazer pequenas obras de arte usando essa massa. Camille vive em Powell River na British Columbia, Canadá e tornou-se conhecida além fronteiras devido ao seu engenho e arte para esculpir aquilo que ela chama de Marzipan Babies.Os Marzipan Babies, são pequenos bébés esculpidos em miniatura e em que a artista apenas usa maçapão. Estes deliciosos e belíssimos bébés já foram expostos em vários museus por este mundo fora e a artista foi convidada para expôr no Annual Invitation Magnum Opus Art Exibition.
Fabulosos, fofos e lindíssinos esses Marzipan Babies.


















Um irmão é....

Alguém a quem contar os meus segredos.Alguém com quem partilhar aventuras.Alguém a quem mostrar as minhas coisas.Alguém que torce por mim.Alguém de quem tomar conta.Alguém que estará comigo nos medos e na doença assim como nas alegrias.Alguém como tu. Um irmão é alguém com quem experimentar coisas, a quem dar conforto, com quem ralhar. Um irmão pede-nos quase tudo emprestado - e, por vezes, devolve-nos o que pediu. Um irmão faz queixinhas de ti aos pais. Deixa, por vezes, escapar um segredo teu. Um irmão faz coisas que nunca imaginaste. Um irmão volta sempre a ti quando está com problemas. Um irmão irrita-te, diz-te para penteares o cabelo, ata os cordões dos teus sapatos. Um irmão diz-te que não tem tempo para te ajudar nos trabalhos de casa. faz birra quando tem de te levar a passear.Põe-te na caminha quando tens gripe. Dá socos nos rapazes que te aborrecem. Um irmão ama-te. A maior parte do tempo. Todos precisamos de uma irmã ou de um irmão.

video

segunda-feira, junho 15, 2009

Judith e Holofernes

Artemisia Gentileschi nasceu em Roma (1593) e faleceu em Nápoles (1652/1653). Filha do pintor Orazio Gentileschi, ficou órfã de mãe aos doze anos de idade e foi orientada pelo pai no sentido de dedicar-se à pintura. A vida de Artemisia está diretamente ligada à sua obra, embora a distância temporal dos factos não contribua para que seja possível afirmar a veracidade de todas as informações. Em 1612, quando a pintora contava com 19 anos, o seu pai recorreu à justiça contra outro pintor, Agostino Tassi, a quem acusou de haver violado Artemisia. Agostino Tassi era mestre de Artemisia e aproveitou a proximidade entre eles para violentá-la. Na tentativa de impedir que o facto fosse revelado, prometeu casar-se com ela e graças à essa promessa continuou tendo acesso à sua alcova por alguns meses.
Uma vez tendo sido acusado, Agostino Tassi negou ter se envolvido com Artemisia e conseguiu testemunhos que denegriram a imagem da pintora, apresentando-a como amante de muitos homens. Durante o processo Artemisia foi intimidada e chegou a ser torturada por um instrumento que lhe apertava os dedos das mãos usualmente utilizado na época com aqueles que se considerava estando em perjúrio. Artemisia para escapar à tortura confessa então ter tido relações sexuais consentidas com Tassio e de ter tido outros amantes. Os factos resumem-se ao seguinte: aos 19 anos, ela foi violada no ateliê de seu pai, em Roma, onde os dois moravam, por um artista, Agostino Tassi, que era pupilo de Orazio e que, um ano mais tarde, viria a ser condenado. A sentença consistiu em ser banido de de Roma por cinco anos, sentença essa que nunca foi aplicada, uma vez que passados meses Tassio estava de volta à cidade. Depois disso, para “limpar sua honra”, Artemisia casou-se e foi morar para Florença. Considerada uma das melhores pintoras do Barroco italiano, pouco depois do julgamento pintou o quadro Judite e Holofernes (1611-1612). Este tema bíblico é comumente utilizado por pintores em várias épocas, mas chama a atenção a maneira como a pintora realizou esta sua obra. Essa passagem bíblica aparece no Antigo Testamento e narra a história de Judite, que se coloca à frente do perigo para enfrentar Holofernes, general das tropas de Nabucodonosor, incumbido de atacar os reinos do Ocidente: “Então, ouvindo estas coisas os filhos de Israel, que habitavam na terra de Judá, tiveram muito medo da aproximação (de Holofernes). O susto e o pavor apoderou-se dos seus corações [...]”. (Bíblia 1987: 495). Judite decapitou Holofernes com a ajuda de uma criada. Artemisia retrata uma Judite forte, decidida, no momento da decapitação, com crueza e violência, o sangue sendo realçado numa tela sem elementos decorativos envolta em um jogo de luzes que coloca o apreciador do quadro como se fosse o espectador da cena.
A questão que se colca é: porquê que Artemisia pintou um quadro tão violento? Uma forma de extravasar todo o ressentimento pelo julgamento? Nunca será possível responder cabalmente a essas indagações, mas o certo é que, se não há como garantir a veracidade das informações sobre a vida de Artemisia, o seu quadro permaneceu, e através de sua obra muito pode ser inferido.
A arte para a pintora é fundamental, refugia-se nela e como que escolhe uma nova maneira de enfrentar uma sociedade que a colocou de vítima à culpada, de violentada à amante. Através da sua criatividade ela pôde expressar em seus quadros o drama vivido. E a pintura se constitui assim em um mecanismo de defesa, para quem teve sua vida exposta e sua reputação denegrida, uma espécie de vingança sublimada. Além de Judite, muitas outras mulheres foram retratadas por Artemisia Gentileschi ao longo de sua vida artística, dentre outras: Maria Madalena, Minerva,Dalila, Vénus,Cleópatra, Lucrécia e ela mesma, num auto-retrato. Apesar dos fatos que marcaram sua vida logo em sua juventude, Artemisia não se deixou abater pela mágoa e conseguiu sobreviver através de sua pintura, não incorporando o papel de vítima.
O primeiro video é uma representação do quadro Judith e Holofernes em que podemos ver a determinação de Judith, por muitos considerada a própria Artemisia julgando pelas suas mãos o seu violador.
O segundo vídeo mostra algumas obras desta pintora do Barroco, por muitos considerada, uma das melhores pintoras do Barroco.
http://www.youtube.com/watch?v=is1Em0EoD1U
http://www.youtube.com/watch?v=RXhvAQf53aY

domingo, junho 14, 2009

Balthus-O Rei dos Gatos

Balthus (Balthazar Klossowski de Rola) nasce a 29 de Fevereiro de 1908 e morre em Fevereiro de 2001 pouco antes de completar 93 anos no seu castelo do século XVIII na pequena vila Suíça de Rossiniére perto do elegante resort de Gstaad. Era filho do pintor e historiador de arte Erich Klossowski e da pintora Elizabeth Dorothea Spiro (conhecida por Baladine), irmão do futuro escritor e desenhador Pierre Klossowski. Entre os amigos da família contam-se figuras como Rilke e Pierre Bonnard, e é numa atmosfera voltada para a arte e a cultura que se forma, afastado de uma escolaridade normal, o futuro pintor.
A guerra, que força os Klossowski, imigrantes de origem polaca com nacionalidade alemã, a abandonar a França em 1914, leva a família para Berlim, mas ao fim de três anos Erich e Baladine separam-se e ela vai com os filhos para a Suíça, onde reencontra Rilke. O poeta vai não só apoiar como inspirar o jovem Balthus, que colherá outras influências artísticas e literárias para a sua obra singular, em contactos com pintores e intelectuais amigos de Rilke e Baladine e viagens entre a Suíça, Alemanha, França e Itália. Nicolas Poussin e Piero della Francesca são dois dos mestres cujas obras estuda e copia pacientemente. A pintura da Renascença vai exercer um fascínio particular em Balthus, que se definirá como pintor convicto do figurativo, admirador dos grandes mestres e cultor do beau métier.
Pinta o seu primeiro quadro, uma paisagem de Muzot (Suíça), aos 15 anos, e faz a sua primeira exposição aos 21 anos em Zurique. A mostra, na Galeria Förter, passa despercebida, mas mas será bem diferente a primeira exposição de Balthus em Paris, para onde vai viver a partir de 1933.Embora não tendo recebido qualquer tipo de formação artística formal, Balthus estudou a fundo os velhos mestres e foi incentivado por artistas como Bonnard e Derain. Passa a ser conhecido a nível internacional por quadros , que possuem uma carga erótica e que nos dão a observar jovens raparigas que dormem, sonham acordadas ou lêem na intimidade de um interior obscurecido.Geralmente os quadros de Balthus mostram-nos uma "lolita" sentada num interior severo e sombrio e a seus pés aparece quase sempre um gato com ar satisfeito.No entanto a imagem não deixa de ser muito perturbadora, talvez devido a certas insinuações eróticas. Balthus conseguiu sempre, como nenhum outro pintor o fez,apreender o carácter inquietante da adolescência, quando a inocência da infância é posta de lado e em seu lugar surgem os instintos sexuais dos adultos. Se fosse vivo, Balthus teria feito em Fevereiro deste ano 100 anos de idade!O pequeno filme que aqui aparece pretende mostrar algumas das obras deste pintor genial.
video

A Virgem Abençoada Castigando o Menino Jesus Perante Três Testemunhas


Max Ernst, alemão nasceu a 2 de Abril de 1891 em Brühl, Alemanha e morreu a 1 de Abril de 1976 em Paris. Era filho de Philipp Ernst, professor de artes e de Luise Kopp. Ernst aprendeu a pintar sozinho enquanto estudava Filosofia e Psiquiatria na Universidade de Bonn´entre 1909 a 1914, chegando a exibir uma de suas pinturas em 1913. Em 1914 Ernst veio a conhecer o surrealismo através de um grande pintor surrealista, Jean Arp, pelo qual manteve a amizade pela vida inteira.
Em
1916 Ernst foi convocado pelo serviço militar alemão para lutar na Primeira Guerra Mundial. Após a guerra Ernst foi morar para Colônia com Jean Arp e Johannes Baargeld, vindo a fundar o Grupo Dada de Colônia.
Ernst Fez uma exibição em
1920 em Colonia, mas foi fechada pela polícia, alegando que a exposição era obscena demais. Ernst acabou se mudando para Paris em 1922, onde veio a se juntar com o grupo surrealista. Era amigo de Gala e Paul Éluard , André Breton e Tristan Tzara.
Ernst viveu em
Nova York entre 1941 a 1945, em 1942 conheceu a pintora surrealista Dorothea Tanning . Em 1946 se casou com ela no Arizona.
Em
19588 voltou a morar em França até sua morte.
Debruço-me sobre este pintor alemão para vos falar da sua obra intitulada A Virgem Abençoada Castigando o Menino Jesus Perante Três Testemunhas.
Esta obra de Max Ernst sempre me imprecionou desde que a vi pela primeira vez porque pela primeira vez eu via o Menino Jesus sendo violentamente castigado pela sua mãe coisa que até aí nunca suspeitei que fosse possível. A violência do castigo é tal que a aurea do menino caí por por terra e a da sua mãe mantêm-se em equilíbrio instável sobre a cabeça. As nâdegas da criança estão vermelhas das palmadas, ele esperneia, tentado safar-se daquele abraço castigador. M.Ernst retrata a virgem com uma tal determinação que chega a ser assustador. O facto desse castigo ser feito perante testemunhas torna o quadro ainda mais terrífico, uma vez que eles,qual voyarismo tão em voga nos nossos dias, limitam-se a assistir a esse castigo sem nada fazerem, sem a mínima intenção de intervirem, olham a cena pelo puro gosto da curiosidade de quem vê algo que o diverte, que lhe dá prazer, que os deixa indiferentes. Vivemos numa era em que os castigos corporais tendem a ser cada vez mais abolidos e essa condenação estende-se ao seio familiar, e é por isso que este quadro de Max Ernst na sua pureza, violência e determinação se torna assustador. Olhamos para ele e tendemos-nos a distanciar, a violência que aí está explicita deixa-nos incomodados e aquelas testemunhas são como que o "Olho de Deus" que tudo vê mas que pouco ou nada pode fazer pelo seu filho. Nem Ele próprio pode arrancá-lo aos braços furiosos daquela mãe castigadora.
Apesar destas imagens de violência, em que uma mãe castiga o seu filho, não posso deixar de me recordar das palavras da escritora Pear S. Buck quando escreveu que "Algumas mães são carinhosas e outras são repreensivas, mas isto é Amor do mesmo modo, e a maioria das mães beija e repreende ao mesmo tempo.”
Este quadro intitulado A Virgem Abençoada Castigando o Menino Jesus Perante Três Testemunhas encontra-se em exibição no The Metropolitan Museum of Art em Nova York.

Um Novo Currículo para o Século XXI

Novas profissões ...um novo Currículo para o Seculo XXI

Já há quem tenha efectuado um "upgrade" no nome da profissão, e ...... deu um "plus" no seu currículo quando se referiu aos empregos anteriores:

- Técnico Especialista de Fluxos de distribuição(Paquete)
- Técnica Supervisora de Bem-Estar, Higiene e Saúde ou Engª. de soalhos(Mulher da limpeza)
- Técnico Coordenador de Fluxos de Entrada e Saída(Porteiro)
- Técnico Coordenador de Movimentação e Vigilância Nocturna(Segurança)
- Técnico Distribuidor de Recursos Humanos(Motorista de autocarro)
- Técnico Especialista em Logística de Combustíveis(Empregado da bomba de gasolina )
- Assessor de Engenharia Civil(Trolha)
- Consultor Especialista em Logística de Alimentos(Empregado de mesa ).
- Técnico de Limpeza e Saneamento de Vias Publicas (Varredor)
- Técnica Conselheira de Assuntos Gerais(Cartomante).
- Técnica Especialista em Terapia Masculina (Prostituta)
- Técnica Especialista em Terapia Masculina Sénior(Prostituta de luxo)
- Técnico Especialista em Logística de Produtos Químicos e Farmacêuticos(Passador de droga)
- Técnico de Marketing Direccionado(Vigarista)
- Técnico de Fluxo de Artigos(Receptor de artigos roubados)
- Técnico Superior de Distribuição de Artigos Pessoais (Carteirista)
- Técnico de Redistribuição de Rendimentos(Ladrão)
- Técnico Superior Especialista de Assuntos Específicos Não Especializados(Político)

Nota: Com os políticos esta técnica nunca falha. Conhecem algum que esteja desempregado????

A Arte chegou às Pen Drives



Vivemos num mundo tecnológico.Quando essa tecnologia se associa ao mundo da Arte, por vezes o resultado é bem interessante.É o que tem vindo a acontecer com as Pen Drives.Elas vieram para ficar, eu, tu, qualquer um de nós tem uma, ou até mais do que uma, há até quem faça colecção!Designers apressaram-se a criar Pen Drives em que o útil se associasse ao belo. O resultado final está à vista. Muito bonito.


Mona/Vinci


Leonardo da Vinci nasceu em Anchiano, perto de Vinci, a 15 de Abril de 1452. Era filho do notário Piero di Antonio da Vinci e de uma camponesa, Catarina.
No ano do seu nascimento, o seu pai casou com uma mulher muito mais nova, Albiera di Giovanni Amadori. Leonardo foi separado da mãe aos 5 anos de idade e, a partir de então, passou a viver com o pai.
Leonardo cresceu no campo o que poderá justificar o seu amor pela natureza. Teve uma grande paixão por cavalos que, mais tarde, foram objecto de magníficos estudos.
Em 1469, Leonardo mudou-se para Florença onde iniciou a sua aprendizagem em pintura no atelier do célebre pintor florentino Andrea del Verrocchio (1436-1488). Elaborou então inúmeros desenhos e esquemas do corpo humano.

O seu primeiro desenho, intitulado Desenho da paisagem do Vale do Arno, é datado de 1473.
Até 1480, produziu uma série de quadros pequenos, como a Madona com Cravo, a Madona Benois e, possivelmente, também a Anunciação. Em 1482, mudou-se para Milão e ofereceu os seus serviços como engenheiro, escultor e pintor a Ludovico Sforza (1451-1508).
De 1483 até 1486, juntamente com Ambrogio e Evangelista de Predis, aceitou e executou a encomenda de uma pintura de altar: A Virgem dos Rochedos.
De 1487 até 1488, trabalhou como arquitecto no atelier da Catedral de Milão.
Em 1489, Leonardo planeou um tratado de anatomia com base numa grande colecção de desenhos anatómicos que havia realizado a partir de observações e dissecações humanas e animais.
De 1489 até 1494, trabalhou na estátua equestre de Francesco Sforza em Milão. Nesse mesmo período pintou os Retrato de Cecilia Gallarani e de Lucrezia Crivelli.
De 1495 até 1498, Leonardo entregou-se à pintura de A Última Ceia encomendada por Ludovico Sforza.
Em 1500, regressou a Florença e iniciou aquele que seria o seu período mais produtivo como pintor. Na primavera desenhou um croquis para a A Virgem e o Menino com Stª Ana, cuja pintura a óleo só será concluída em 1510.
Em 1501, trabalhou num pequeno quadro da Virgem com o Menino conhecido como Madona del Fuso.
Em 1502, viajou por Itália com Cesar Borgia como arquitecto e engenheiro. Neste altura, desenhou mapas e outros tipos de representações geográficas.
Em 1503, regressou a Florença e iniciou o retrato de Lisa del Giocondo, esposa de Francesco del Giocondo. Nesta altura começou a pintura mural da Batalha de Anghiari.
É precisamente sobre esta obra de Leonardo que me debruço.
A Mona Lisa é famosa em todo o mundo pelo seu enigmático sorriso e por ser uma das poucas pinturas de Leonardo, estimado mestre Renascentista. A identidade do modelo apesar de geralmente ser atribuido a Lisa del Giocondo permanece contudo para muitos estudiosos como desconhecido e existe ainda o debate sobre se este modelo teria sido um homem ou uma mulher, mas a pintura, com o seu cenário fantástico eleva-se acima dessas controvérsias.Tratando-se de um retrato tradicionalmente renascentista quanto à composição, a sua beleza reside na técnica de pintura a óleo (conhecida como sfumato) criada por Leonardo, que permitiu ao artista criar sombrados subtis e uma perspectiva atmosférica impossíveis de produzir com a têmpera de ovo, então muito usada.Igualmente versado em anatomia, engenharia e aeronáutica, Leonardo conduziu diversas pesquisas científicas. Completou um escasso numero de pinturas, mas sobreviveram numerosos desenhos e livros de esboços permitindo-nos apreciar os diversos talentos deste génio.
Este quadro de Leonardo, que se intitula Mona Lisa, ou La Gioconda (Óleo sobre madeira, 77x53cm) encontra-se no Museu do Louvre, em Paris.

Viagemos sempre em Grupo!

Façamos como os Pinguins, viagemos sempre em grupo é mais divertido e...bem mais seguro!
video

O Professor do Ano

Professor do ano foi aquele que, com depressão profunda, persistiu em ensinar o melhor que sabia e conseguia aos seus 80 alunos.
Professor do ano foi aquela que tinha cancro e deu as suas aulas até morrer.
Professor do ano foi aquela que leccionou a 200 km de casa e só viu os filhos e o marido de 15 em 15 dias.
Professor do ano foi aquela que abandonou o marido e foi com a menina de 3 anos para um quarto alugado. Professor do ano foi aquele que comprou o material do seu bolso porque as crianças não podiam e a escola não dava.
Professor do ano foi aquele que, em cima de todo o seu trabalho, preparou acções de formação e se expôs partilhando o seu saber e os seus materiais.
Professor do ano foi aquele que teve 5 turmas e 5 níveis diferentes. (E ainda há quem tenha mais!)
Professor do ano foi aquele que pagou para trabalhar só para que lhe contassem mais uns dias de serviço.
Professor do ano foi aquele que foi agredido e voltou no dia seguinte.
Professor do ano foi aquele que sacrificou os intervalos e as horas de refeição para tirar mais umas dúvidas.
Professor do ano foi aquele que continuou a motivar os alunos depois de ser indignamente tratado pelos seus superiores do ME.
Professor do ano foi aquele que se manifestou ao sábado sacrificando um direito para preservar os seus alunos.
Professor do ano foi aquele presidente de executivo que viveu o ano entre o dever absurdo, a pressão e a escola a que quer bem, os colegas que estima.
Professor do ano... tanto professor do ano.
Professores do ano, todo o ano, fomos todos nós, professores, que o continuamos a ser mesmo após uma divisão absurda. Somos mais que professores do ano.
Somos professores sempre!

sábado, junho 13, 2009

Os Cavalos Marinhos

Embora possa parecer caricato, o cavalo-marinho é um peixe, encontrando-se particularmente difundido em águas temperadas e tropicais.
O seu habitat: Águas pouco profundas, particularmente nas regiões tropicais.
Distribuição: Praticamente em todos os oceanos
Tamanho: Normalmente entre os 3,8 e 30 cm.
Com o corpo coberto de placas ósseas, os anéis embora rijos, são muito flexíveis. Uma curiosidade peculiar, são os olhos. Implantados em pedúnculos, cada um move-se independente do outro, dando-lhe assim a possibilidade de um se concentrar na presa, e o outro no predador. A boca encontra-se na extremidade do focinho tubular. A sua alimentação baseia-se no plâncton, crustáceos e pequenos animais.
Animal solitário, quando ameaçado, permanece imóvel, agarrado às algas ou corais, através da cauda preênsil onde além disso encontra protecção na sua coloração mimétrica. Contrariamente à maioria dos outros peixes, locomove-se na vertical servindo-se da sua barbatana dorsal, embora este tipo de locomoção vertical, lhe dificulte a vida, tornando-o lento.A sua capacidade de emergir ou mergulhar rapidamente, deve-se a facto de possuir grandes bexigas de ar, dentro do corpo.O cuidado das crias, é responsabilidade do macho, que as transporta dentro do seu próprio corpo. O macho possui uma bolsa de incubação formada por duas pregas de pele que se estendem ao longo da cauda e que se fecham quando recebem os ovos. Então o macho fecunda os ovos, que começam a desenvolver-se. Ao mesmo tempo o revestimento da bolsa engrossa e enche-se de vasos sanguíneos.
À volta dos ovos vão-se formando pregas e protuberâncias, percorridas por uma rede de capilares, que transportam o oxigénio necessário aos embriões em desenvolvimento. Este rendilhado cutâneo produz também uma secreção nutritiva. Ao cabo de aproximadamente 3/4semanas, quando as crias já estão suficientemente desenvolvidas, a bolsa abre-se e o macho dá à luz a sua prole. Seguidamente expulsa o revestimento da bolsa, semelhante a uma placenta. A prole, é uma réplica perfeita dos pais.Mitologicamente, acreditava-se que este peixe era meio peixe, meio cavalo.
Aristóteles (384 – 322) a.C., foi o primeiro investigador de historia natural a descrever o cavalo-marinho, afirmando que este se “desunia durante a época de desova” para parir os juvenis.